Apesar do crescimento nos postos de trabalho, comércio mais demitiu do que contratou no Acre

Foto: Sérgio Vale/ac24horas.com

Segundo dados divulgados pelo Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), o país registrou recuperação de empregos no mês de março, notadamente no setor de serviços, comércio e construção.

No Acre, uma parcela deste crescimento também foi verificada, com exceção do comércio, que ainda sofre resquícios do lockdown exigido pela pandemia, de acordo com a Fecomércio.

Ao longo do mês de março, foram admitidos 2395 profissionais contra 2.116 desligamentos, a maioria no setor de serviços e na construção. Março fechou com saldo positivo de novos postos ocupados com 269 trabalhadores, exceto o comércio que encerrou com redução de 36 postos.

Apesar de ter fechado o mês com saldo positivo, a posição não é muito confortável se forem observados os dados do mês anterior, fevereiro de 2021, quando o número em todo o Estado foi de 3084 admissões, 2116 desligamentos e um saldo de 975 novos postos ocupados.

“Dentre os municípios que apresentaram um saldo positivo na ocupação de postos de trabalho estão: Bujari, com 41 postos ocupados; Cruzeiro do Sul, com 18 postos; Feijó, com 39 postos, Plácido de Castro, com 71 postos, Rio Branco, com 28 postos, Sena Madureira com 33 postos e, por fim, Tarauacá, com a ocupação de 22 novos postos de trabalho”, explicou Egídio Garó, assessor da Fecomércio.

O representante da Fecomércio do Acre enfatiza que a expectativa para os próximos períodos é boa. “Quando o nível de confiança do empresário for mais elevado, certamente investimentos serão direcionados à criação e ocupação de novos postos de trabalho por conta do controle vacinal em combate à pandemia, a minimização dos impactos do lockdown, a expectativa de novas políticas econômicas para o País e, por último e não menos importante, a inauguração da ponte sobre o Rio Madeira, no vizinho estado de Rondônia”, disse.

Com informações da assessoria da Fecomércio no Acre.

%d blogueiros gostam disto: