Cameli não tem previsão para chamar aprovados em concurso e pede paciência aos aprovados

Em entrevista na manhã desta segunda-feira (17), o governador eleito, Gladson Cameli, quando interrogado sobre a convocação dos aprovados nos concursos da Polícia Civil e Militar, respondeu que precisa de prazo e paciência. Apesar de considerar uma prioridade os campos da saúde e da segurança pública, Gladson explicou que precisa cortar gastos para gerar recursos que o permitam fazer essa convocação.

“Imagina que eu mantenha toda a estrutura que está aí na situação como está. Daqui a dois anos, o estado fica ingovernável. Janeiro já tem o déficit de R$ 40 milhões que nós vamos ter que desembolsar. Peço paciência, porque eu não consigo resolver tudo em um ano, preciso de prazo para reestruturar toda a máquina. Esses cortes que estamos fazendo e que estão na reforma, já nos dará uma redução dos custos, mas, não consigo fazer tudo em um ano, peço mais uma vez, paciência”, disse Cameli.

No total, juntando as duas instituições, são 500 homens e mulheres a serem convocados e que dependem da convocação para início da academia de polícia que vai prepará-los para trabalhar na segurança pública do estado. Os concursos foram realizados em 2017 e o resultado final saiu em agosto desse ano. A previsão era que o então governador, Tião Viana, convocasse até novembro deste ano, mas, o prazo já se excedeu e a responsabilidade foi repassada para a próxima gestão.

Por Contilnet