Cargo de assessor especial será extinto na minirreforma do governo

Governador Gladson Cameli (PP) – Foto: Reprodução
 LUCIANO TAVARES, DO NOTÍCIAS DA HORA

Refúgio para ex-deputados derrotados e ex-prefeitos desempregados e desqualificados, o cargo de assessor especial será extinto na minirreforma de Gladson Cameli que será enviada a Assembleia Legislativa do Acre.

Ou seja, figuras como os ex-deputados Jairo Carvalho (PSD), Nelson Sales (Progressistas) e Elson Santiago, que foi nomeado hoje para o cargo, terão o status e os salários rebaixados no governo. Um assessor especial recebe pouco mais de R$ 19 mil atualmente.

O cargo de assessor especial teria como finalidade ajudar o governador em articulações com a sociedade, o parlamento, os poderes, sindicatos e os próprios secretários estaduais, porém nos últimos anos virou um cabide de emprego de alta remuneração sem qualquer justificativa de trabalho concreto e convincente, avalia o governo.

No mesmo pacote encaminhado à Casa do Povo, Cameli pedirá que a Assistência Social tenha status de Secretaria de Estado. O governo apenas mudará a nomenclatura da pasta que deve ser chamada de Secretaria de Assistência Social, Mulher e Atenção Indígena.

Conforme antecipou o Notícias da Hora na terça-feira passada, o GPPE, Grupo de Planejamento Estratégico formado por
chefes da Secretaria da Fazenda, Casa Civil, Controladoria Geral do Estado (CGE), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Secretaria de Planejamento (Seplan), perderá seus poderes.

%d blogueiros gostam disto: