Crianças resgatam bicho-preguiça em terreno e pedem ajuda do Corpo de Bombeiros no AC: ‘podia ser atropelado’

Um grupo de cinco garotos que brincava em um terreno em construção no bairro Formoso, em Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, encontrou um bicho-preguiça e decidiu acionar o Corpo de Bombeiros para entregar o animal.

Preocupados com a segurança do bicho, as crianças colocaram o animal em um pedaço de madeira e saíram pela rua para pedir ajuda. A cena chamou a atenção de quem passava pelo local e observava as crianças.

Um dos meninos levantava o lado da vara quando o animal se aproximava para não ser fisgado pelas garras da preguiça. O garoto da outra ponta fazia o mesmo para o animal não se aproximar.

“Ficamos preocupados porque ali ele não tinha pra onde ir, nem tinha o que ele comer. E podia sair na rua e ser atropelado ou encontrar alguém que matasse ela”, disse um dos meninos.

Os motoristas paravam para tirar fotos da meninada que seguia preocupada com o destino que daria para o animal. A peleja do grupo só se encerrou quando um homem que seguia em uma moto decidiu acionar os Bombeiros que mandou uma equipe para fazer o resgate.

“Nós cuidamos bem dela. Não deixamos ninguém machucar”, afirmava outro garotinho de apenas cinco anos que fazia parte do grupo.

Quando os bombeiros chegaram, as crianças já tinham colocado a preguiça em uma árvore em frente a um quintal. O animal foi levado para uma região de floresta distante da área cidade onde foi solto pela equipe do Corpo de Bombeiros.

Resgate de animais é comum na região

O comandante do Corpo de Bombeiros, capitão Rômulo Barros, afirma que no primeiro semestre deste ano foram resgatados 56 animais, na zona urbana e também na área rural do município. Em agosto, os bombeiros foram acionados para resgatar uma jiboia de 6 metros de comprimento que estava na propriedade de uma família na Vila Assis Brasil.

“É bem mais comum do que se imagina. Temos atendido várias ocorrências para fazer a captura animais, entre eles, podemos citar o bicho-preguiça, jacarés, cobras do tipo jiboia que são as mais comuns em nossa região. Macacos, tamanduás e abelhas são as mais frequentes. O Corpo de Bombeiros é preparado para esse tipo de resgate por se preocupar com a preservação da fauna e da flora”, destacou Barros.

O comandante elogiou a atitude dos garotos. “Louvamos a atitude dessas crianças que, embora estejam em locais de periferia, já têm as informações necessárias para esse tipo de ocorrência e se tornam parceiros com Corpo de Bombeiros”, destacou.