Discurso proferido pelo Deputado Estadual Daniel Zen (PT/AC), na Sessão Solene de Abertura dos Trabalhos Legislativos e Leitura da Mensagem Governamental

Deputado Daniel Zen (PT)

Excelentíssimo Senhor Dep. Nicolau Jr, Presidente da ALEAC;

Excelentíssimo Senhor Governador do Estado do Acre, Gladson Cameli;

Excelentíssimo Senhor Des. Francisco Djalma, Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre;

Excelentíssima Senhora Des. Regina Ferrari Longuini, Presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Acre;

Excelentíssima Senhora Kátia Rejane, Procuradora Geral de Justiça do Ministério Público do Estado do Acre;

Excelentíssimo Senhor Dep. Luiz Gonzaga, Primeiro Secretário da ALEAC;

Excelentíssimo Senhor Cristovam Messias, Presidente do Tribunal de Contas do Estado do Acre:

Em meu primeiro mandato, aprendi algo que, na verdade, eu já sabia, mas pude vivenciar, na prática, no cotidiano desta Casa do Povo. De que em um parlamento, só existem duas posições possíveis: situação e oposição.

Talvez não exista nada mais oportunista, em um Parlamento, do que aquele parlamentar que se declara independente. Do que aquele que diz que vai votar com o Governo quando este for a favor do povo. E contra o Governo quando este for contra o povo. É claro que ser oposição ou situação não significa votar sempre a favor ou contra o Governo. Cada matéria, cada projeto de lei encaminhado pelo Poder Executivo a esta Casa deve ser analisado de forma criteriosa. Mas é preciso, é fundamental, para a democracia, deixar claro de que lado se está. Porque é necessário, na democracia, sobretudo para os dirigentes do Poder Executivo, saber quem são, com que armas lutam e como lutam seus adversários.

Quero dizer que, da parte da bancada de oposição, independente de quem e de quantos seremos, que nós faremos oposição de verdade. Mas, o Governador e sua equipe não se preocupem, porque, de nossa parte, não haverá boicotes ou deslealdades. Porque uma outra coisa que eu também aprendi, no parlamento, é que a palavra vale mais do que qualquer outra coisa. Uma vez, dada, a palavra deve ser cumpruda.

A paz e a tranquilidade, traduzidas na palavra governabilidade, tão necessária para se governar, deve ser buscada e assegurada pela bancada governista e não pela bancada de oposição. A oposição já fez uma grande gesto, apoiando a eleição da chapa única para a Presidência desta casa. De agora em diante, à oposição caberá, dentre outras coisas, fiscalizar e fazer a crítica. Além de cuidar da sua própria produção Legislativa.

A tarefa da oposição é ser, sempre, o desaguadouro das insatisfações das pessoas, da população, do povo.

Desejo sorte e sucesso ao Governador e afirmo que, da parte da bancada de oposição, Vossa Excelência pode esperar as mais duras críticas e a mais dura fiscalização. Mas, feita de forma justa e honesta.

Muito Obrigado!