Eleito primeiro-secretário do Senado, Petecão terá direito a 14 cargos extras com salários de R$ 4 mil a quase R$ 22 mil

Por Ac24horas

Brasília sempre foi sinônimo de Poder e isso fica mais evidente após a eleição da mesa diretora do Senado, realizada nesta quarta-feira, 6, onde o senador acreano Sérgio Petecão (PSD) foi eleito primeiro-secretário da casa, o segundo cargo mais importante do Poder Legislativo Nacional, atrás a apenas da presidência, que desde a semana passada é ocupada pelo senador amapaense Davi Alcolumbre (DEM), que venceu a guerra das articulações contra o senador alagoano Renan Calheiros (MDB).

A Petecão, de acordo com o Regimento Interno, caberá a leitura em Plenário da correspondência oficial recebida pelo Senado, dos pareceres das comissões às matérias em tramitação, das proposições apresentadas e de todos os demais documentos que façam parte do expediente da sessão. Além disso, ele assinará e receberá a correspondência do Senado e é responsável pela supervisão das atividades administrativas da Casa. O senador acreano será responsável por gerenciar o orçamento de R$ 5 bilhões da casa.

Além de todas as atribuições regimentais, Petecão terá 14 cargos extras a sua disposição. Serão oito cargos cujo os salários chegam a quase R$ 22 mil, seis em que os salários estão na casa dos R$ 17 mil e um cuja nomeação recebe pouco mais de R$ 4 mil, totalizando R$ 283 mil de gastos mensais extras.

De acordo com a assessoria do Senado, os cargos de assessor parlamentar e de secretário parlamentar podem ser divididos em até 50 cargos com menor remuneração, desde que a soma dos salários brutos dos cargos fracionários seja menor ou igual ao salário bruto do cargo fracionado. O único cargo que não pode ser fracionado é o de motorista.

Procurado pelo ac24horas para falar de toda a estrutura que terá a sua disposição, Petecão disse que sua eleição foi fruto de articulação e que ainda não tinha ciência de todos esses cargos. “A eleição foi um trabalho conjunto. O PSD tem 10 senadores na casa, eu não me elegi sozinho, é possível que esses cargos sejam divididos entre as forças políticas, eu não sei ao certo. Só terei uma noção de tudo a partir desta quinta-feira, 7, quando participar de umas reuniões do senado”, disse o Senador.

Petecão enfatizou que apesar do orçamento bilionário, a nova gestão do Senado tem o objetivo de apertar o cinto e cortar gastos. “Sei que é orçamento gigantesco, uma estrutura gigantesca, mas a nossa ideia é cortar gastos. Temos uma responsabilidade muito grande nisso. As pessoas nos cobram e vamos fazer”, salientou.