Em vídeo, prefeito de Epitaciolândia esclarece cortes na educação municipal

Prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes – Foto: Alexandre Lima

O prefeito do município de Epitaciolândia, o delegado Sérgio Lopes, mais uma vez, esclarece aos munícipes e servidores da Educação, o que acontece em relação ao corte de um aumento, esse aprovado em 2016 na gestão do então prefeito, André Hassem.

 

Essa Lei aprovada pela maioria dos vereadores da época, se tornou nula pelo Tribunal de Contas do Estado do Acre – TCE, sem validade e até condenou os gestores do Município, André Hassem , a devolver pouco mais de R$ 1 milhão de reais e seu sucessor, Tião Flores, o retorno de R$ 2,8 milhões aos cofres públicos, até abril de 2019, podendo serem novamente condenados.

Diante da ilegalidade do aumento, o atual prefeito não vê como continuar os pagamentos considerados ilegal. Mesmo assim, Sérgio Lopes está trabalhando com o setor jurídico, o pagamento do piso salarial dos professores da educação já para este mês de março.

Sérgio Lopes destaca que a atual representante da Categoria no Sinteac, que esteve ao lado de um candidato no pleito passado, vem deturpando as informações à imprensa, inclusive que professores vem recebendo menos de um salário mínimo bruto no contracheque.

Também passaram a circular nas redes, um ‘card’ falando do suposto salário que o prefeito vem recebendo, muito além da realidade e até desafia a mostrar o seu contracheque, mas, destaca que não tem como manter o pagamento considerado irregular.

“Não tem como continuar o pagamento irregular e no final da gestão, ter de devolver cerca de R$ 5 milhões aos cofres públicos. Eu sempre vou trabalhar pautado na legalidade e não vou fazer nenhum ato ilegal, para beneficiar ou prejudicar alguém”, destacou Sérgio Lopes.

O prefeito destaca também, que tem pessoas que ainda não desceram do palanque político e já se reuniu várias com a categoria que é sabedora da situação e vem tentando buscar saídas jurídicas, mas, que no momento não nada que se possa fazer.

“Lamento… não estou satisfeito em ter feito esse desconto. Mas, foi um erro praticado pelos gestores passados, (…) tiveram cinco anos para corrigir isso e agora, os servidores estão pagando um preço por essa irresponsabilidade…”, disse.

Veja vídeo com Almir Andrade.

%d blogueiros gostam disto: