Emirados Árabes Unidos condenam britânico à prisão perpétua por espionagem

Estudante britânico Matthew Hedges e sua mulher Daniela Tejada, em imagem de arquivo — Foto: Detained In Dubai/ AFP

O britânico Matthew Hedges foi condenado nesta quarta-feira (21) pelo tribunal federal de Abu Dhabi à prisão perpétua por espionagem, anunciou um porta-voz da família. O ministro britânico de Relações Exteriores afirmou que estar “profundamente chocado” com a sentença.

“Podemos confirmar que foi condenado à prisão perpétua. O julgamento durou menos de cinco minutos e o advogado não estava presente”, declarou a fonte à AFP, sob a condição de anonimato.

Hedges tem prazo de 30 dias para apelar contra a decisão do tribunal, de acordo com a imprensa local.

O doutorando da Universidade de Durham, noroeste da Inglaterra, foi detido no aeroporto de Dubai em 5 de maio. Ele desembarcou nos Emirados Árabes Unidos para fazer entrevistas sobre a política externa e a estratégia de segurança do país.

O ministro britânico das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, afirmou que está “profundamente chocado e decepcionado” com a sentença. O chanceler disse ter mencionado o caso de Matthew Hedges em conversa com o príncipe herdeiro de Abu Dhabi, Mohamed ben Zayed.

“Este veredicto não é o que esperávamos de um amigo e sócio de confiança do Reino Unido e vai contra as garantias recebidas”, disse Hunt.

Em outubro, o procurador-geral dos Emirados, Hamad Al Shamsi, anunciou que Matthew Hedges deveria ser julgado em Abu Dhabi por “acusações de espionagem para um país estrangeiro, colocando em perigo a segurança militar, política e econômica do Estado”.

Shamsi disse que o britânico utilizou o status de pesquisador como desculpa e as acusações contra Hedges são baseadas em “provas”. O britânico foi libertado de maneira provisória em 29 de outubro com uma tornozeleira eletrônica.

“Espero sobretudo que se faça justiça e que Matt receba a legítima liberdade, que foi negada durante os últimos seis meses”, afirmou Hunt em um comunicado.