Governo de Gladson estuda possibilidade de terceirizar Huerb e Upas

Assim como o ex-governador Sebastião Viana (PT), que no ano passado tentou, através de um Projeto de Lei encaminhado a Assembleia Legislativa do Acre, aprovar a terceirização do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco e das UPA’s do Segundo Distrito e da Sobral, mas não conseguiu, o atual gestão do governo do Acre estuda essa possibilidade novamente.

De acordo com apuração de ac24horas, o governo de Gladson Cameli tem interesse em implantar na saúde “uma gestão moderna, eficiente, que evite o desperdício e não dê margem à corrupção”. Ainda de Segundo informações obtidas na Casa Azulada, nesse sentido algumas medidas de médio e longo prazo estão sendo estudadas, incluindo a possibilidade de terceirização.

O porta-voz do governo, jornalista Rogério Wenceslau confirmou o interesse, e revelou que a sugestão veio da Secretaria de Planejamento, porém, a gestão informa que analise está sendo feita pela Procuradoria-Geral do Estado, Casa Civil e a Secretaria de Saúde. “Está em aberto ainda se esse seria um modelo viável”, explica.

Em março de 2018, o Projeto do executivo foi analisado pelos deputados da Assembleia Legislativa e não foi aprovado. Sob gritos de “não vai ter golpe” dos servidores da área de saúde, os deputados do bloco de oposição com ajuda de dois membros da base de governo petista na época derrotaram por 11 votos a 10, o PL que regulamentava o edital de chamamento de Organizações Sociais para a fazer a terceirização do Pronto-Socorro de Rio Branco e também das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Naquela época, os deputados, Jenílson Leite (PCdoB), Raimundo Correa (Podemos), Antônio Pedro (DEM), Eliane Sinhasique (MDB), Whendy Lima (PP), Nicolau Júnior (PP), Chagas Romão (MDB), Gherlen Diniz (PP), Jairo Carvalho (PSD), Nelson Sales (PV) e Luiz Gonzaga (PSDB) foram contrários à matéria.