Ícaro Pinto, da BMW que matou Jhonliane, é condenado a 4 anos de prisão

Acusado de participar da morte da jovem Jhonliane Paiva, no último dia 6 de agosto de 2020, em Rio Branco, o fisioterapeuta Ícaro Pinto foi condenado nesta quarta-feira (23) pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Ilhéus, na Bahia, a 4 anos e 3 meses de prisão, por ter espancado o italiano Marco Belli, em 2013.

O caso aconteceu em um bar, após uma discussão por conta de um balde de gelo. Ícaro iniciou as agressões, sendo seguido pelos outros denunciados (seu irmão e seu primo), de acordo com os autos do processo.

A vítima foi cirurgiada depois do ocorrido, já que teve o nariz fraturado e a tíbia direita.

“O Réu agiu com culpabilidade exacerbada, diante da sua extrema agressividade e brutalidade no cometimento das agressões, conforme relatado pelas testemunhas, bem como a desproporção de sua força e juventude em comparação com a vítima, sendo sua conduta merecedora de elevada censura. As circunstâncias do crime foram graves já que três homens jovens e adultos atacaram violentamente a vítima que, mesmo caída desacordada no chão continuou sendo covardemente agredida, sem nenhuma chance de defesa, somente interrompendo as agressões após a intervenção de outras pessoas que estavam no local”, diz uma parte da condenação.

Jonathans David da Silva Pinto – irmão de Ícaro – e o primo, Marcus Vinícius Gonçalves Pinto, foram condenados a 04 anos e 01 mês de prisão. Os três irão responder em liberdade.

%d blogueiros gostam disto: