Médicos formados na Bolívia podem ficar fora do Programa Mais Médicos

Os médicos formados no exterior só terão preferência de ingresso no programa Mais Médicos, do Governo Federal, somente se o número de inscritos com registro de CRM forem chamados e, ainda assim, restarem vagas. Algumas regras e normativas específicas no Edital Público podem, ainda, deixar os profissionais de medicina com especialização estrangeira de fora do certame.

Nos quesito 2.5.7, por exemplo, diz que médicos estrangeiros devem estar amplamente registrados e terem o aval das embaixadas e ainda estarem em dia com as suas obrigações eleitorais, por exemplo.

Outro ponto desfavorável aos médicos brasileiros formados na Bolívia, por exemplo, diz que a participação na chamada pública e no projeto, o país de formação/exercício profissional deve apresentar relação estatística médico/habitante com índice igual ou superior a 1,8/1000, o que não é o caso daquele país.

Conforme o Edital e cronograma, o período das inscrições é de 11 a 14 de dezembro de 2018.

Nessa primeira etapa da inscrição, os candidatos devem enviar documentos como o reconhecimento da instituição de ensino pela representação do país em que os profissionais obtiveram a formação, que serve para dar início ao processo do Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira).

Entenda o que diz o Edital do Mais Médicos:

EDITAL Nº 22, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2018ADESÃO DE MÉDICOS AO PROGRAMA DE PROVISÃO DE MÉDICOS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE – PROJETO MAIS MEDICOS PARA O BRASIL – Diário Oficial da União – Imprensa Nacional

CRONOGRAMA_DIA-10.12.2018_CRM_-INTERCAMBISTA-BRASILEIRO-E-ESTRANGEIRO

%d blogueiros gostam disto: