Polícia encontra veículo que homem teria usado para fugir após matar mulher na Bolívia

Caminhonete foi localizada na casa de
Euclides que se encontra fechada – Foto: Alexandre Lima

Durante a manhã desta quarta-feira, dia 24, policiais civis do município de Epitaciolândia, receberam uma denuncia onde estaria o veículo usado pelo brasileiro Euclides Alves de Oliveira (28), principal acusado de ter matado sua companheira a tiros nesta terça-feira, dia 23, na cidade de Cobija, lado boliviano.

Em colaboração com a Polícia Nacional Bolívia, os investigadores brasileiros estão tentando localizar Euclides, que fugiu de Cobija após atirar por cerca de quatro vezes contra Jéssica Santos de Paula (26), que ainda teria chegado com vida no hospital, mas, não resistiu e foi a óbito.

A pick-up modelo Chevrolet/S10, placas NAB 0649, foi localizada em Epitaciolândia em uma casa que seria do acusado, apontada pela Policia Boliviana como sendo o carro que o assassino usou para fugir de Cobija, após matar sua esposa. O veículo foi rebocado para o pátio da Delegacia

Jéssica não resistiu aos tiros efetuados pelo companheiro que está foragido – Foto: reprodução

Na casa onde o casal morava antigamente e que se encontra abandonada, os agentes encontraram cápsulas de munição de calibre 9mm e varias marcas de tiro no muro dentro da residência e que passarão por perícia. No entanto, as marcas aparentam não ser recente.

Euclides está sendo procurado – Foto: reprodução

A Policia Civil informa que, como o crime ocorreu na Bolívia os procedimentos de perícia e maiores detalhes do homicídio estão a cargo das autoridades bolivianas. Foi informado ainda que o casal vivia uma relação conturbada e que o acusado já chegou a ser preso por causa de agressões e ameaças.

Filho do casal e corpo foram levados para cidade natal da vítima

Um grupo de amigos da vítima Jéssica que era natural da cidade de Humaitá (AM), diante da tragédia e não ter um parente na fronteira, resolveram fazer uma ‘vaquinha’, arrecadando dinheiro suficiente para transferir o corpo de Cobija (lado boliviano) para Brasiléia (lado brasileiro) com autorização das autoridades no início da noite desta terça-feira, dia 23.

O filho do casal, com apoio das autoridades dos dois países, também foi levado e entregue para uma amiga da vítima. O corpo ficou até as 10 horas desta quarta-feira (24) na sua residência. Foi quando os familiares enviaram dinheiro para que realizassem o translado saindo do Acre, passando por Rondônia e seguindo para o Amazonas.

O acusado do crime que tomou rumo ignorado, está sendo procurado pelas autoridades dos dois países.