Prefeita Fernanda Hassem se destaca e pode ser convidada para ser vice-governadora em 2022

 

 

EVANDRO CORDEIRO

A prefeita reeleita de Brasiléia, Fernanda Hassem (PT), fez, na semana passada, o lançamento do ano letivo em seu município, no centro cultural Sebastião Dantas, para uma plateia bem reduzida, por razões sanitárias decorrentes da pandemia do coronavirus. Mesmo assim conduziu uma cerimônia charmosa, com muitos atos, e fez um discurso cujo conteúdo parecia ser para espectadores de um estádio.

Falou alto, reduziu o tom, se emocionou, e terminou por arrancar sonoro aplauso ao afirmar estar tão empolgada para esse segundo mandato, recém-inciado, quanto quando assumiu o primeiro, em 2017. Ela parece ter incorporado, em definitivo, a condição de política emergente, embora não aprecie esses títulos. Tudo por pura modesta, uma vez que, ao se reeleger folgadamente, Fernanda passa a ser, naturalmente, uma espécie de liderança política exponencial daquela região onde estão situados os municípios de Brasiléia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Xapuri, o chamado Alto Acre.

Fernanda de Souza Hassem, aos 39 anos de idade, é um dos poucos nomes surgidos na política recente do Acre capaz de preencher requisitos raros na política, como ter alta capacidade administrativa e popularidade. O que se seguiu após ela se eleger em 2016 pôde comprovar a gestora diferenciada existente nela. Para se ter ideia, herdou um município destruído. Além de problemas de gestão, que resultaram inclusive em cadeia para seus antecessores, Brasiléia havia sido varrida por uma intempérie natural.

Uma das maiores enchentes da história, ocorrida em 2015, transformou a parte baixa da cidade em um cenário de guerra. Ao sentar na cadeira de prefeito, ela descobriu algo mais. Existiam problemas de toda ordem. Ao invés de reclamar, montou a equipe e convocou seus munícipes para um sacrifício. “Foi rápido e nem doeu muito aquele sacrifício”, diz o irmão dela, Tadeu Hassem, uma espécie de esteio de suas gestões. Em menos de dois anos o panorama já era outro.

Com Brasiléia recuperada fisicamente, suas ruas e prédios públicos e privados outra vez coloridos, a autoestima dos moradores gradativamente recuperada, era hora de cuidar das contas. A essa altura, o município era totalmente inadimplente. Com outro esforço concentrado foi questão de tempo para o CNPJ da prefeitura entrar no azul e passar a ser apto para receber investimentos de Brasília. “Esse foi um momento importante para quem pensava em grandes investimentos”, diz a prefeita, que procurou também socorro da parte do governador Gladson Cameli, o que garantiu excelentes resultados, segundo ela, que cita o asfaltamento, finalmente, da avenida Marinho Monte, ocorrido como resultado dessa parceria, entre tantas outras realizações.

REALIZAÇÕES

Com as contas em dia, a prefeita Fernanda Hassem partiu para as realizações. No setor de obras, reabriu mais de mil quilômetros de ramais, adquiriu uma nova frota de maquinas pesadas, reconstruiu pontes e revitalizou totalmente o centro velho de Brasiléia. Na educação implantou o piso nacional do magistério, capacitou professores, recuperou fisicamente toda a rede escolar, ganhou nota máxima no IDEB, complementou a merenda escolar, e terminou campeã do prêmio nacional gestão escolar. Tem uma gama de outros feitos nos mais diversos setores, como a melhora da relação com a Câmara de Vereadores.

O sucesso na gestão foi fundamental para a reeleição. Com 49,46%, Fernanda bateu adversários fortes como a ex-prefeita e ex-deputada Leila Galvão, que disputou pelo MDB. Além da reeleição ela se cacifa para ostentar o título de liderança regional, certamente pelo conjunto da obra.

Tanto sucesso, não deu outra. Fernanda Hassem é a cereja do bolo de todo cidadão que sonha disputar o governo em 2022. Já foi convidada por quase todos para compor como vice, além da promessa de ser a cabeça de chapa onde quiser disputar para deputado federal. Econômica em relação a esse assunto, disse ao Acrenews apenas que, de fato, o Alto Acre já merece estar representado numa chapa majoritária, uma bela deixa para os empreendedores da política.

Mas a fala dela não passa disso. Acha que é melhor esperar mais um pouco para falar em eleição e usa o argumento de todos: é momento de cuidar das pessoas, afetadas pela pandemia. Até pela modesta, esse furacão provavelmente não vai virar uma brisa jamais. É só esperar 2022 para ver isso.

%d blogueiros gostam disto: