Prefeitura de Epitaciolândia realiza audiência para tratar problemas de carretas na cidade

Uma audiência onde contou com a presença de vários representantes da sociedade civil organizada, vereadores, representantes do Dnit, Receita Federal, Detran, Ministério Público, Anvisa e da presença do prefeito do prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, juntamente com sua equipe, na Câmara Municipal, para tratar de um assunto que vem se arrastando por anos.

A pauta solicitada e debatida, seria a circulação dos caminhões e carretas pela cidade causando transtornos e prejuízos. Sem um local adequado para estacionamento enquanto se resolve a questão aduaneira, os veículos geralmente transportam combustível, pedras e outros materiais para o lado boliviano.

Dois pontos que vem sendo alvos de descontentamento, seria a Avenida Internacional que dá acesso à ponte que liga o município do lado brasileiro, ao lado boliviano. Mesmo com impedimento, é comum o estacionamento dos dois lados da via. Alguns incidentes já foram registrados.

Segundo local, ficou para parte da antiga pista do aeroporto, no bairro que leva o nome. O acumulo de caminhões que transportam combustível, causando medo e passam por cima da proibição da permanência dos veículos naquele local.

Superintendente substituto do Dnit no Acre, Carlos Henrique.

Segundo o superintendente substituto do Dnit no Acre, Carlos Henrique de Assis Moraes, “os problemas apresentados nesta reunião serão levados ao conhecimento dos diretores do Órgão. Sabemos que estes veículos precisam de um local adequado para que passem pelo procedimento aduaneiro e o problema das carretas é crescente. O atraso da obra do anel viário por parte do Estado era para ajudar neste sentido”, destacou.

Outro ponto destacado, seria também o crescimento de prostituição, confusões e uso de drogas por alguns. Com o crescimento populacional, a logística não vem acompanhando neste caso, onde são veículo de grande porte que causam danos em diversas áreas.

Para Tião Flores, “isso é um problema que vem se alastrando alguns anos. Por isso resolvermos tomas uma decisão de convidar todos esses órgãos para que juntos, debatêssemos o assunto ligado ao problema rodoviário. Hoje são cerca de 80 a 100 carretas que chegam aqui na fronteira. Nos não temos infraestrutura necessária para receber tudo isso aqui. Por isso, em conjunto com esses parceiros, estamos procurando uma solução”, destacou o prefeito do município.

Promotor Ocimar Silva esteve presente na audiência.

Segundo foi anunciado, em 2019 a obra do anel viário será iniciada. A obra é considerada importante para ajudar no problema desafogando o trânsito na cidade. Para o Promotor de Justiça do Acre, Ocimar Silva, “o Ministério Publico tem fiscalizado e ajudado na questão. O importante é encontrar um denominador comum, direcionando alguns encaminhamentos podendo reconhecer algumas soluções possíveis desses órgãos para um problema tão complexo da melhor forma possível”, disse.

 

 



Por Alexandre Lima

Veja as entrevistas abaixo com Almir Andrade:

%d blogueiros gostam disto: