Segurança Pública do Acre realiza operações para evitar influência de facções nas eleições

Entre as principais preocupações das autoridades estão o financiamento ilegal de candidatos ou partidos, candidaturas de integrantes de facções ou pessoas ligada à elas, e ainda, a capacidade de coagir eleitores a votarem em candidatos apoiadores dessas organizações.

Autoridades temem a influência de facções/Foto: reprodução

O fato de estar em uma localização estratégica em que faz fronteira com dois importantes produtores de cocaína: Bolívia e Peru, fez com que o Acre virasse alvo de disputa entre as facções nacionais Primeiro Comando da Capital (PCC) e Comando Vermelho (CV), além da facção local Bonde dos 13 (B13).

A Secretaria de Segurança anunciou nesta terça-feira que vem realizando diversas operações e cumprimentos de mandado para o combate às organizações criminosas com o objetivo de coibir tais práticas.

“Foi divulgado em rede nacional que as organizações criminosas estariam tentando interferir nas eleições dos pleitos locais. A polícia judiciária se antecipa e faz operações nesse sentido de combater as organizações criminosas. O sistema integrado está cumprindo determinações do Tribunal Regional Eleitoral em apoio à Polícia Federal e estará atuando de forma coesa no pleito eleitoral de modo a garantir a tranquilidade e a lisura do pleito”, garantiu o secretário de Segurança, Wanderley Thomas.