Três suspeitos de invadir delegacia e linchar preso que matou casal no interior do AC são identificados

Durante uma operação para prender membros de organização criminosa, a Polícia Civil prendeu, na manhã desta quinta-feira (8), três homens que têm participação na invasão da Delegacia de Capixaba, no interior do Acre, em setembro desse ano.

Na ação, populares retiraram Elison dos Santos da cela, levaram ele para a rodovia BR-317 e o lincharam até a morte.

Santos era suspeito de assassinar Francisco Oliveira e Sebastiana Mendes, de 69 e 58 anos, respectivamente. O casal foi morto no Ramal Brasil Bolívia, zona rural do município, no dia 26 de setembro.

O delegado Marcos Cabral, responsável pela investigação, diz que Henrique Ribas, de 19 anos, Paulo Cordeiro da Silva, com apelido de “ovelha negra” e Emerson Lima Farias, de 20, que é conhecido como “apocalipse”, devem responder pelos crimes de dano ao patrimônio, homicídio e organização criminosa.

O delegado diz que Farias aparece em um vídeo, que mostra o momento da invasão, dando enxadadas no preso.

“Eles não falaram sobre a motivação do crime, apenas se identificaram como membro de uma facção e disseram que eles não aceitaram esse tipo de coisa, sendo que ele vitimou o casal”, relata.

Emerson Lima Farias, de 20, é um dos presos acusados de participação na morte de preso após invasão à delegacia  — Foto: Divulgação/Polícia Civil Emerson Lima Farias, de 20, é um dos presos acusados de participação na morte de preso após invasão à delegacia  — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Emerson Lima Farias, de 20, é um dos presos acusados de participação na morte de preso após invasão à delegacia — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Além dos acusados de invadir a delegacia, Deivity da Silva, de 18 anos, e cinco adolescentes foram presos durante a operação por ameaçar moradores de Capixaba. Segundo o delegado, todos pertencem a uma facção criminosa e praticavam vários crimes na região.

Além disso, visitavam comerciantes e cobravam mensalidades para não praticarem roubos.

“Durante a apuração desses fatos, constatamos esses e vários crimes. Eles falavam até com o gerente do estabelecimento e davam ultimatos, pedindo o pagamento. Além disso, teve o caso até mesmo de um policial que foi ameaçado por esse grupo”, relata.

Polícia Civil apresentou dois, dos quatro homens presos durante a operação, e os cinco adolescentes que faziam parte de facção criminosa — Foto: Quésia Melo/G1Polícia Civil apresentou dois, dos quatro homens presos durante a operação, e os cinco adolescentes que faziam parte de facção criminosa — Foto: Quésia Melo/G1

Polícia Civil apresentou dois, dos quatro homens presos durante a operação, e os cinco adolescentes que faziam parte de facção criminosa — Foto: Quésia Melo/G1

%d blogueiros gostam disto: