Um dos envolvidos em latrocínio na fronteira já havia sido preso por integrar facção criminosa

Ao menos dois dos envolvidos no latrocínio que aconteceu no último domingo, 15, próximo no município de Brasileia, já possuem antecedentes criminais. Um deles, Islomar Geronimo de Lima, inclusive, já foi preso por envolvimento com facção criminosa no Acre. Os quatro acusados de cometerem o crime tiveram a prisão preventiva decretada nesta segunda-feira, 15, a pedido do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC).

Weliton Fernandes Filho também possui antecedentes criminais e foi o mentor intelectual da ação criminosa, segundo apuração do órgão. Vanderson Felipe Marcelo Santana se deslocou de Rio Branco com a finalidade específica de praticar crimes na região e foi o autor do disparo que matou a vítima.

Os criminosos invadiram uma fazenda localizada na zona rural do município e mataram o proprietário. Eles fugiram do local levando duas caminhonetes e dinheiro. Foram detidos: Islomar Geronimo de Lima, Weliton Fernandes Filho, Vanderson Felipe Marcelo Santana e Cleberson Alves Moreira. Eles participaram da ação que matou o fazendeiro Raimundo Nonato Pessoa, de 55 anos, com um tiro de arma de fogo calibre 12.

Segundo o promotor de Justiça Ocimar Silva Sales Júnior, os delitos revelam gravidade ímpar e ensejadora de clamor público. “Denota-se dos autos que o ajuste prévio e orquestrado da ação que resultou no brutal homicídio da vítima Raimundo Nonato Pessoa, alvejada, ressalte-se, com arma de grosso calibre, o que demonstra extrema periculosidade na ação praticada pelo grupo”, comentou o promotor.

Os mandados de prisão foram expedidos pelo juiz Gustavo Sirena, titular da Vara Criminal da Comarca de Brasileia, que determinou, ainda, a transferência dos envolvidos para Rio Branco.

Com informações do MP/AC

%d blogueiros gostam disto: