Vereadores conhecem o Projeto Social Policial Civil na Escola que será implantado em Brasileia

O Vereador Presidente da Câmara Municipal, Rogério Pontes (MDB), Vereador, Líder da Prefeita na Câmara, Edu Queiroz (PT), Vereador 2°Secretário da Mesa Diretora, Rozevete Honorato (PSB), e o Vereador Zé Gabriele (PSB).

 

Participaram nesta quinta-feira,26, na Câmara Municipal da reunião de apresentação do Projeto Policial Civil na Escola que será implantado pela primeira vez no interior do Estado em Brasileia a partir de outubro.

 

A atividade social envolve crianças entre 8 e 12 anos e tem por objetivo aproximar a instituição das escolas que atendem público com algum tipo de vulnerabilidade social principalmente nas escolas de bairros mais periféricos. Além de conhecer como funciona o trabalho das polícias investigativa e científica, conhecerão também a função básica de investigar para trabalhar na prevenção.

 

As crianças que participarão do Projeto receberão identidades e vão participar de atividades lúdicas e esportivas, além de palestras que buscam envolver os alunos em ações preventivas e despertar valores cívicos.

 

A reunião foi coordenada pela agente de Polícia Civil, Vânia Andrade, Delegado Adjunto da Polícia Civil, José Aníbal e a Delegada Mardhia Yusif Shawwa com a colaboração de Elisardo Guerra.

 

Participaram ainda a Secretária de Gabinete da Prefeitura de Brasileia, Amanda Christina e a Gerente da Secretaria Municipal de Educação, Silvânia Gadelha.

 

Veja o que disseram

Delegada, Assessora Institucional de Polícia Civil no estado Dra. Mardhia Yusif Shawwa, “O delegado Dr. Henrique escolheu Brasileia e Epitaciolândia por ser área de fronteira, os resultados desse projeto são muito bons, as crianças que participam continuam tendo todo acompanhamento na frequência escolar, participam das programações realizadas pela Polícia Civil”, Destacou.

 

Vereador, Rozevete Honorato(PSB), “Quero agradecer a Polícia Civil, pedi ao executivo que aprove esse projeto que vem para orientar e prevenir a criminalidade diretamente naquelas escolas em temos maior vulnerabilidade. Já temos em mente as escolas que serão indicadas para o desenvolvido projeto. Vejo que esse projeto precisa ser apoiado com maior rapidez para trazermos ainda este ano o projeto para as escolas”, Ressaltou.

 

Agente de Polícia Civil, Vânia Andrade, “Esse projeto foi criado em 2017 em Rio Branco na Cidade do Povo, em 2018 tivemos outra edição do projeto em uma escola do Bairro Calafate. É um projeto social que tem como foco, ações preventivas. Escolhemos para participar escolas situadas onde tem os maiores índices de criminalidades, e os alunos selecionados são os alunos com as melhores notas, tem a duração de 5 dias com o desenvolvimento de palestras e simulação de ingresso na polícia civil com teste físicos e teóricos, conheceram como a polícia civil estar estruturada”, Enfatizou.

%d blogueiros gostam disto: