A falsa sensação de segurança divulgada pela cúpula do Executivo Acreano

Michel Coelho

Recentemente, o Governo do Acre divulgou números que mostram redução de mortes violentas no Estado. Os indicativos estão disponíveis em site oficial e é comemorado pela cúpula do Executivo.

Pois bem, estes dados devem ser olhados com cuidado, pois podem esconder algumas informações e levarem a população a uma falsa sensação de segurança e tranquilidade, sem que perceba o que realmente está acontecendo a sua volta, no seu dia a dia.

Como sabemos, mortes violentas podem ser oriundas de vários motivos, desde legítima defesa, crime passional, rixa, latrocínio, briga entre facções (aliás, estas estão em um acordo de paz segundo uma carta divulgada em aplicativos de mensagens recentemente, o que pode ter contribuído, inclusive, para diminuição de mortes) e mesmo assim não ser o “motivo” para a insegurança coletiva.

Mas o que realmente aflige a nossa população?

Vejamos: no final de semana passada, os moradores da fronteira fizeram um protesto cobrando segurança naquele local, ameaçando até fechá-la, o fato é, os números de roubos e furtos estão estarrecedores, nunca antes visto. Os crimes são variados, desde roubos de carros até celulares. Os limítrofes estão sofrendo com a sensação de insegurança, e ao que parece, não há mortes por lá.

Na capital, a sensação é pior ainda. O Rio-branquense tem medo de exercer atividades básicas, desde esperar um ônibus a andar pela rua, detalhe, em qualquer horário do dia. Por isso, antes mesmo de temer a vida, o cidadão de Rio Branco receia pela perda de sua liberdade e sua integridade física.

Em outras palavras: O medo manda e domina e o Poder Público nada faz pra resolver!

Outro fato a ser relatado, também no interior, foi o sequestro do ex-prefeito de Porto Walter, que foi mantido refém por algumas horas. Além disso, os comerciantes de Cruzeiro do Sul temem pelas suas vidas com medo de assaltos à mão armada praticamente todos os dias. Invariavelmente, isto, sim, causa temor na população.

A questão é, por qual motivo o governo do Acre não divulga também os índices desses delitos? A resposta talvez, o nobre leitor já saiba – Não quer desmascarar a maquiagem da realidade.

A verdade é que não se pode comemorar. Não temos o que comemorar! A população está fadada à sorte e com medo. Apenas os que têm condições de se proteger, que podem andar com carros blindados e com arma no bolso, sentem a veludosa sensação de tranquilidade.

O Acreano médio quer ter paz e não falsa sensação de paz.

Pra completar, hoje, saiu no diário oficial do Estado, a convocação de 10 agentes de polícia… Brincadeira né Governador!! A quem o senhor quer “enganar”? Chega a ser no mínimo ridículo e por que não dizer, amoral??

É procurar “tapar o sol com a peneira” convocar apenas 10 agentes de polícia diante de tanta criminalidade em nosso Estado.

Chega de “brincar” com a vida das pessoas. Mais moralidade e eficiência é o que se espera, no mínimo, de um Gestor Público.

%d blogueiros gostam disto: