Depois de protestos, barreira sanitária é retirada pelo governo da Bolívia

Ponte de acesso ao lado boliviano pela cidade de Epitaciolândia foi a primeira a ser bloqueada.

O governo da Bolívia emitiu na manhã deste domingo, uma nota oficial onde fala da suspensão da barreira sanitária em toda fronteira com o Brasil por 16 dias. Tal decisão criou um protesto entre moradores das fronteiras com o Acre, através de Brasiléia e Epitaciolândia.

Durante todo o dia deste sábado, dia 10, as pontes de acesso à Cobija, capital do estado de Pando (Bolívia), foram bloqueadas por moradores das cidades consideradas gêmeas.

Ponte Wilson Pinheiro, que dá acesso pela cidade de Brasiléia também foi bloqueada.

Segundo os manifestantes, o bloqueio causa transtornos e principalmente, prejuízos financeiros entre as três cidades, além de prejudicar os acadêmicos de medicina. A justificativa de impedir a propagação o vírus do covid-19, foi por água a baixo, uma vez que aumentou a busca por produtos em ambas as cidades da fronteira.

O bloqueio iria perdurar enquanto durasse o Decreto por parte da Bolívia. Neste domingo, dia 11, acontece a realização do segundo turno em algumas capitais do País, inclusive em Pando, e por isso, as fronteiras são fechadas por 24 horas, sendo liberada a partir das 18 horas (horário boliviano), que tem uma hora a mais que o Acre.

%d blogueiros gostam disto: