Jenilson questiona falta de vagas para vários profissionais de saúde em concurso da Sesacre: “Falta de sensibilidade”

O deputado estadual Jenilson Leite (PSB) questionou a falta de vagas para terapeutas ocupacionais e outras categorias no concurso da Secretaria de Saúde do Acre, divulgado na última segunda-feira (27).

Em seu discurso na sessão da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (29), Jenilson lembrou a importância destes profissionais para o funcionamento da rede pública de saúde.

Médico, o deputado destacou o papel fundamental exercido pela categoria no combate à pandemia da Covid-19. “Essa turma da fisioterapia foi uma das que mais se dedicou e foi para a linha de frente, tinha que ajudar a entubar, ventilar, tinha que aspirar e se submeter ao vírus naquele momento em que ninguém estava vacinado, e agora abre um concurso e esses profissionais não se veem”.

O presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito), Rodrigo Campos, destacou que a representação da classe já havia enviado um ofício ao Governo informando a necessidade de contratação dos profissionais e mesmo assim ficaram de fora do certame.

“Temos recebido dos profissionais que há uma demanda reprimida de profissionais para atender, e o Acre é carente de mão de obra qualificada e um concurso como esse gera interesse de profissionais de outras localidades, garantindo atendimento a quem precisa”, explicou.

Jenilson disse que falta sensibilidade na publicação do edital e que está sendo procurado por várias categorias com a mesma reclamação.

“O Governo vive com dificuldade para enxergar os reais problemas que nós vivemos. Não sobra tempo dentro de tantas atribulações políticas desde que assumiu o Governo, onde vem brigando com todos os seus aliados e esqueceu de tirar tempo para cuidar dos problemas do povo que hoje está ao Deus dará”.

Ainda em seu discurso, o deputado falou sobre a situação da saúde, que vive um colapso com mortes de tantas crianças por síndrome respiratória aguda grave.

“Demonstração do abandono do serviço público”, afirmou Jenilson apontando para a a necessidade de modernização do serviço público.

“Grande parte das capitais brasileiras estão se modernizando nos serviços digitais, a exemplo das agências bancárias, onde há pouco tempo havia todos os serviços eram feitos de forma presencial e hoje, tudo está na palma da mão, por meio de aplicativos”.

Pré-candidato a governador, Leite reforçou que está em seu Plano de Governo o uso das tecnologias para otimizar o tempo das pessoas e os recursos públicos.

“Faz parte de nosso plano de Governo digitalizar os principais serviços, ofertar um aplicativo para que ele possa resolver ali através de um aplicativo, isso não é inventar a roda, muitos estão fazendo e nós, aqui no Acre, correndo risco de ficar até sem ônibus e o cidadão tendo que sair lá do segundo distrito para vir à OCA, sendo que podia estar resolvendo por um simples aplicativo”, diz.

Outro ponto atestado por Jenilson foi a falta de políticas públicas voltadas para a população mais carente.

“A maior parte dos governos que passaram fizeram conjuntos habitacionais para o povo e construíram casas para o povo morar e nós estamos há quatro anos nesse Governo com amplo apoio em Brasília, com três senadora, um senador relator do orçamento, com um presidente eleito com 70% dos votos aqui no Acre, não conseguiu colocar um tijolo, levantar uma casa. Nossa luta não é por quem é azul ou vermelho, é por quem é capaz de trabalhar e fazer mais para o povo que padeceu é por isso que nós estamos com nossa pré-candidatura ao Governo do Estado não meramente para enfrentar uma eleição e derrotar o atual Governo, mas porque entendemos que o povo merece um governador capaz de olhar para o problema do povo como se fosse o seu”, finalizou.

%d blogueiros gostam disto: