Professor Jerry fala sobre os desafios e o caminho da educação diante da pandemia

O Governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Educação adotou o programa Escola em Casa. A plataforma digital permite que professores e alunos acessem os conteúdos de estudo de todas as séries e etapas da Educação Básica.

Além do Governo do Estado, as prefeituras também têm envidado esforços para garantir a continuidade do ano letivo. As iniciativas para atender os alunos vão desde postagens de aulas em grupos de whatsapp até a impressão de materiais.

Em Assis Brasil, uma triste realidade tem tirado o direito de estudar de centenas de crianças, jovens e adolescentes. Estamos falando da falta de internet de qualidade que permita os estudantes acessarem o saber.

Oi, Claro e Vivo. São as três operadoras de telefonia e internet que prestam serviço em Assis Brasil. A primeira é responsável pela telefonia fixa e internet banda larga. Os serviços desta operadora atendem apenas algumas residências e setores públicos, deixando a maioria da população descoberta. Já as duas operadoras de telefonia móvel prestam um serviço de péssima qualidade, sobretudo no que diz respeito ao sinal de internet. Este não chega a 1 megabyte, sendo utilizado apenas para enviar e receber mensagens no Whatsapp.

Neste contexto, centenas de estudantes do município de Assis Brasil não têm acesso ao ensino virtual, necessário diante das mudanças ocasionadas pela pandemia. Neste caso, já não se pode afirmar que todos têm direito à educação.

Pouco ou quase nada tem sido feito pelas autoridades locais. Não vemos nenhum debate a respeito desta problemática. O silêncio dos poderes constituídos para representarem e defenderem os interesses da sociedade é o sinal que o tema não é tratado com a devida prioridade.

Muito pode ser feito. Podemos e devemos acionar o Ministério Público para investigar a má prestação de serviço por parte das operadoras. Os órgãos públicos podem disponibilizar parte de sua internet para estudantes que moram nas proximidades. O Poder Judiciário pode forçar a operadora Oi a liberar mais portas de internet em caráter de urgência. Prefeito e Vereadores podem exigir, ou acionar a Justiça para isso, que as operadoras Vivo e Claro melhorem imediatamente o sinal de internet móvel, com velocidade suficiente para acessar sites e assistir vídeos online.

Os professores e estudantes de Assis Brasil também têm o direito de estudar nas plataformas digitais. Cidadãos e cidadãs desta cidade têm direito a uma internet de qualidade e para todos!

Se você concorda e pode ajudar, compartilhe e faça este texto chegar aos que podem e devem resolver o problema.

Por nossos alunos, por nossos professores, por Assis Brasil!

Autor: Jerry Correia

%d blogueiros gostam disto: