Sejusp Itinerante vai a Brasileia, debate segurança pública na fronteira e apresenta investimentos

Focado no conhecimento das principais dificuldades enfrentadas na área de segurança pública na região de fronteira, bem como a promoção do diálogo e apresentação de sugestões para que esses problemas sejam superados, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), promoveu, em Brasileia, a segunda edição do Programa Sejusp Itinerante, nesta quarta-feira, 30.

Segunda edição do Programa Sejusp Itinerante é realizado em Brasileia, nesta quarta-feira, 30 Foto: Marcos Vicentti/Secom

A iniciativa faz parte do Plano Estadual de Segurança Pública e Defesa Social e reúne diversos órgãos públicos municipais, estaduais e federais. Nesta edição, as quatro cidades que compõem a regional do Alto Acre, Brasileia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Xapuri, foram convidadas para a rodada de debates e formulação de câmaras temáticas para o encaminhamento e tomada de decisões das demandas apresentadas.

O Acre está entre os 11 estados localizado na faixa de fronteira do Brasil com a maioria dos países sul-americanos. Por conta dessa peculiaridade geográfica, essas regiões enfrentam inúmeros desafios, sobretudo na área de segurança pública.

No caso específico do território acreano, o estado faz fronteira com Bolívia e Peru, dois dos maiores produtores de cocaína do mundo. Além disso, o tráfico de armas, travessia de veículos roubados, crises migratórias e a presença de organizações criminosas são outros agravantes.

Gladson Cameli afirmou que a redução dos índices de criminalidade é um dos principais desafios de sua gestão Foto: Marcos Vicentti/Secom Foto: Marcos Vicentti/Secom Foto: Marcos Vicentti/Secom

O Acre está entre os 11 estados localizado na faixa de fronteira do Brasil com a maioria dos países sul-americanos. Por conta dessa peculiaridade geográfica, essas regiões enfrentam inúmeros desafios, sobretudo na área de segurança pública.

No caso específico do território acreano, o estado faz fronteira com Bolívia e Peru, dois dos maiores produtores de cocaína do mundo. Além disso, o tráfico de armas, travessia de veículos roubados, crises migratórias e a presença de organizações criminosas são outros agravantes.

Presente na solenidade, o governador Gladson Cameli lembrou que um dos principais desafios assumidos em sua administração é o enfrentamento à criminalidade, que desde 2019 vem apresentando quedas expressivas. Para o gestor, segurança pública é um tema que necessita do envolvimento do poder público e sociedade.

“Vivemos em uma região de fronteira e esse fator acaba contribuindo para a prática de crimes que outros estados desconhecem. Desde que assumi o governo, temos fortalecido as nossas forças de segurança para combatermos o crime. Esse debate é muito importante para ouvirmos, debatermos e, principalmente, encontrar as soluções para que a nossa população se sinta cada vez mais segura”, pontuou.

Cameli lembrou que um dos principais desafios assumidos em sua administração é o enfrentamento à criminalidade Foto: Marcos Vicentti/Secom

Presente na solenidade, o governador Gladson Cameli lembrou que um dos principais desafios assumidos em sua administração é o enfrentamento à criminalidade, que desde 2019 vem apresentando quedas expressivas. Para o gestor, segurança pública é um tema que necessita do envolvimento do poder público e sociedade.

“Vivemos em uma região de fronteira e esse fator acaba contribuindo para a prática de crimes que outros estados desconhecem. Desde que assumi o governo, temos fortalecido as nossas forças de segurança para combatermos o crime. Esse debate é muito importante para ouvirmos, debatermos e, principalmente, encontrar as soluções para que a nossa população se sinta cada vez mais segura”, pontuou.

Sérgio Lopes, prefeito de Epitaciolândia, pediu o fortalecimento do policiamento ostensivo na faixa de fronteira Foto: Marcos Vicentti/Secom

Em sua fala, o prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes, defendeu o fortalecimento do policiamento ostensivo em toda a região de fronteira. O gestor, que é delegado de polícia de carreira, atuou durante 11 anos no combate ao crime no Alto Acre.

“Essa é a primeira vez, nos últimos dez anos, que vejo uma ação de grande porte para discutirmos as problemáticas na fronteira. Precisamos, enquanto Segurança Pública do Estado, ter mais atenção com a essa região e combater com maior eficácia os crimes, que são praticados aqui”, disse.

Prefeita Fernanda Hassem parabenizou governo do Estado por levar Sejusp Itinerante ao município de Brasileia Foto: Marcos Vicentti/Secom

Já a prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem, parabenizou a iniciativa do governo pela realização do Sejusp Itinerante e comentou sobre o esforço do Estado na construção de um Acre cada vez mais seguro.

“Tratando-se de um município de fronteira, temos vários desafios a superar. É muito bom ver o empenho do governo, juntamente com as demais instituições, na busca por alternativas para melhorar a nossa segurança pública. Isso, com certeza, traz mais esperança para a nossa população”, enfatizou.

Governo confirma investimentos de alta tecnologia no enfrentamento ao crime

Na oportunidade, o secretário Paulo Cézar Rocha dos Santos, apresentou os investimentos previstos para a regional do Alto Acre. Destaque para a implantação de tecnologia avançada no enfrentamento aos ilícitos transfronteiriços.

Secretário Paulo Cézar Rocha dos Santos apresentou os investimentos do governo acreano no Alto Acre Foto: Marcos Vicentti/Secom

“O governo conta com recursos para a instalação do cerco eletrônico no combate ao roubo de veículos, investigações e na própria prevenção. A regional também contará com a implantação de videomonitoramento urbano, em parceria com as prefeituras”, explicou o titular da Sejusp.

O avanço do sistema de radiocomunicação digital, construção de Centros Integrados de Segurança Pública em Assis Brasil e Xapuri, bases móveis comunitárias e aquisição de mais veículos para reforçar a frota de viaturas policiais somam-se as melhorias do governo do Estado na região.

Criado em 2019, o Grupo Especial de Fronteira (Gefron) também será contemplado com a construção de uma base fixa na fronteira Foto: Marcos Vicentti/Secom

Criado em 2019, o Grupo Especial de Fronteira (Gefron) também será contemplado com a construção de uma base fixa na fronteira, assegurando mais agilidade no desempenho das atividades policiais. Em menos de dois anos, a unidade já apreendeu 1,6 tonelada de drogas, 45 armas de fogo e recuperou 42 automóveis roubados.

Texto: Wesley Moraes

%d blogueiros gostam disto: