Acre tem 4.909 armas registradas em mãos de cidadãos comuns, mostra pesquisa

O Acre tem atualmente 4.909 armas registradas oficialmente e em mãos de pessoas comuns. Entre 2003 e 2018, o Comando do Exército concedeu registro a 69 lojas de venda de armas no Acre, Amazonas, Roraima e Amapá. As concessões são distribuídas por Região Militar e não por unidade da Federação. Assim, não é possível verificar quantas lojas estão presentes no Acre porque a 12ª Região Militar engloba quatro Estados. Os dados são de dezembro de 2003 a 2018, foram reunidos e divulgados na segunda semana de janeiro pela Agência Pública. O Acre tem mais armas registradas que outros nove Estado e, no total, levando em conta as demais registradas, são 5.787 armas. É o 18º no ranking da arma legalizada.

No País, o Exército concedeu licença para abertura de 1.206 lojas de venda de armas em todo o país. São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul são os únicos que possuem dados estaduais. Mesmo contando apenas com o Rio Grande do Sul, a 3ª Região Militar é, disparada, a que tem mais lojas de armas legalizadas pelo Exército: foram 266 registros concedidos entre 2003 e 2018. Desde 2007 há uma tendência de aumento no número de lojas novas em todas as regiões, diz a Agência Pública.

Esses dados surgem em meio à flexibilização do porte de arma, algo diferente da posse: porte é a autorização que uma pessoa possui para andar armada, ou seja, ter a arma de fogo pronta para uso imediato em qualquer lugar (nas ruas, em sua casa, sítio, fazenda, no shopping e em qualquer outro local).

Diferente da posse de arma, que significa apenas a propriedade da mesma, sem o direito de andar com ela. A posse dá direito ao proprietário da arma usa-la apenas em sua casa ou seu local de trabalho. Já o porte dá direito ao proprietário a usar a mesma em qualquer local.

%d blogueiros gostam disto: