Antes de morrer, Gedeon sofreu ameaças de morte e teria revelado mandante do crime à esposa

O assassinato do ex-prefeito de Plácido de Castro, Gedeon Barros, de 52 anos, na manhã desta quinta-feira, 20, no Segundo Distrito de Rio Branco, tem indícios de execução encomendada por questões de dívidas decorrentes das últimas eleições. A polícia, inclusive, já teria o nome do mandante do crime, segundo apurou o ac24horas.

A informação é extraoficial, mas segundo pessoas próximas ao ex-prefeito, Gedeon já havia sido ameaçado de morte por uma pessoa que alegava uma dívida. Em razão das ameaças, ele chegou a registrar ocorrência via Ciosp.

No entanto, as ameaças persistiram e Gedeon, supostamente, teria repassado o nome do sujeito a sua esposa e avisou que se acaso ocorresse algo, o principal suspeito seria esse homem que não teve a identidade revelada.

A reportagem do ac24horas entrou em contato com o delegado responsável pelo caso, Marcos Cabral. Segundo ele, a polícia trabalha com as suspeitas mencionadas, porém, nenhuma hipótese está descartada no momento. No entanto, para não atrapalhar as investigações, Cabral não informou qual a linha de investigação do caso, mas disse que a esposa de Barros deverá prestar depoimento ainda hoje. “Vamos fazer essa análise, é prematuro, mais vamos fazer as investigações dos fatos. Chegaremos aos autores do crime”. Cabral destacou que o laudo da perícia criminal deverá ser finalizado em até 30 dias.

O crime

O ex-prefeito Gedeon Barros foi assassinado nas proximidades da Corrente, região do Segundo Distrito da capital. Os criminosos chegaram em uma moto vermelha e efetuaram dois disparos na cabeça de Barros que veio à óbito, ainda no local, antes da chegada do Serviço Móvel de Urgência e Emergência (Samu). O corpo do político foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) para os devidos procedimentos cabíveis.

%d blogueiros gostam disto: