Banco do Brasil vai ser fechado mais uma vez no Acre por 24 horas nesta quarta-feira

Os bancários já haviam realizado protesto semelhante e alertaram para a possibilidade de uma greve por tempo indeterminado.

A paralisação foi decidida em uma assembleia realizada entre o sindicato e a categoria na última sexta-feira (5).

Os bancários do Banco do Brasil no Acre anunciaram que irão paralisar novamente as atividades por 24 horas na próxima quarta-feira (10), segundo confirmou o presidente do Sindicato dos Bancários.

De acordo com o presidente, os trabalhadores lutam contra o fechamento de agências, demissão de funcionários e extinção da função de caixa nas agências, segundo o sindicato.

No último dia 29, os bancários já haviam realizado protesto semelhante e alertaram para a possibilidade de uma greve por tempo indeterminado.

A instituição tem cerca de 400 funcionários distribuídos nas 24 agências que eram mantidas no estado. O processo de reestruturação, segundo o sindicato, prevê a demissão de cinco mil bancários em todo o país.

Todos os funcionários do Banco do Brasil no Acre vão aderir à greve nacional que acontecer nesta quarta-feira, dia 10, com manifestações em todo o país. “A greve é nossa única arma para enfrentar o terror implantado por Paulo Guedes e Bolsonaro no Banco do Brasil”, desabafou o presidente em exercício do Sindicato dos Bancários do Acre, Eudo Raffael. O sindicalista convoca toda a categoria dos bancários para aderir ao movimento previsto para acontecer em todo o país, no dia 10 desse mês. “Acredito que todos juntos venceremos mais essa batalha”, prevê.

Raffael pediu apoio aos bancários que vistam de preto nessa quarta-feira para protestarem de forma silenciosa pelo desmonte do Banco do Brasil, inclusive que tirem fotos com a hashtag #EuApoioAGreveDoBB e postem nas redes sociais. Para o presidente do Sindicato, a greve tem como objetivo demonstrar que os servidores do banco público são contra o plano de reestruturação imposta a toque de caixa pelo governo federal. Destacou que a proposta tem como objetivo fechar 361 agências, diminuir a estrutura de 800 postos de atendimento, desligar mais de 5 mil funcionários e extinguir a gratificação de função de caixa. “No Acre, dezenas de funcionários estão sendo atingidos, pois perderão suas funções e muitos poderão ser transferidos, compulsoriamente, para outros estados”, lamentou o sindicalista.

Os servidores do BB provocaram paralisação no fim do mês passado nos municípios acreanos, para demonstrar que discordam do fechamento das agências dos municípios de Assis Brasil, Capixaba e Bujari, inclusive das agências da avenida Ceará (na capital acreana) e da Catedral em Cruzeiro do Sul (no Vale do Juruá). Com o fechamento de agências, os moradores do interior precisarão recorrer aos correspondentes bancários para pagar contas e sacar o salário do Município e do Estado. As agências de Xapuri e Mâncio Lima serão transformadas em postos de atendidos do BB. Cada agência conta hoje com seis bancários e um gerente. Com a mudança, ficarão apenas três bancários para atender essas localidades.

A instituição tem cerca de 400 funcionários distribuídos nas 24 agências que eram mantidas no estado. O processo de reestruturação, segundo o sindicato, prevê a demissão de cinco mil bancários em todo o país. Quem discordar do cargo designado ou do estado a que for transferido, poderá optar pelo Programa de Adequação de Quadros (PAQ) ou o Programa de Desligamento Extraordinário (PDE) para deixar o banco.

Os servidores do BB provocaram paralisação no fim do mês passado nos municípios acreanos, para demonstrar que discordam do fechamento das agências dos municípios de Assis Brasil, Capixaba e Bujari, inclusive das agências da avenida Ceará (na capital acreana) e da Catedral em Cruzeiro do Sul (no Vale do Juruá)

%d blogueiros gostam disto: