De forma 100% presencial, ano letivo de 2022 começa nesta segunda (11) no AC: ‘Vai melhorar nosso aprendizado’

De forma 100% presencial, ano letivo de 2022 começa nesta segunda (11) no AC — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica

De forma 100% presencial, ano letivo de 2022 começa nesta segunda (11) no AC — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica https://73a1fb0e13c508b56da99f21ad7ac49e.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Após mais de dois anos, os alunos as escolas da rede estadual de ensino do Acre voltaram para as aulas 100% presenciais nesta segunda-feira (11). Entre os protocolos de segurança estão a disponibilização de álcool em gel, aferição de temperatura, tapetes sanitizantes e uso de máscara obrigatório.

As aulas presenciais foram suspensas em 17 de março de 2020, na semana em que estado confirmou primeiros casos de Covid e passaram a ser feitas de forma remota, com videoaulas. Em outubro do ano passado, a Educação Estadual retomou as aulas de forma híbrida, com alguns alunos nas salas de aula e outros ainda em casa.

Aluna da Escola Serafim Salgado, Anne Caroline Castro, de 13 anos, está no 8º ano e disse que os anos de ensino a distância dificultaram o aprendizado e afirmou que está feliz com a retomada para a sala de aula.

“Ficou muito ruim para aprender, essa falta toda dos professores, a gente quase não conseguiu desenvolver as coisas. Estou tendo muita dificuldade para aprender, acho que estou muito atrasada. Acho que vai melhorar nosso aprendizado, vai ser melhor pra todo mundo”, disse a estudante.

Aluna da Escola Serafim Salgado disse que os anos de ensino a distância dificultaram o aprendizado — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica

Aluna da Escola Serafim Salgado disse que os anos de ensino a distância dificultaram o aprendizado — Foto: Andryo Amaral/Rede Amazônica

A professora de Língua Portuguesa Anginere Rocha disse que estava ansiosa para voltar para sala de aula e poder estar junto dos alunos.

“O contato que você tem diário é importante para que eles aprendam melhor. Então, a gente sabe que há uma defasagem, que há um caminho grande, não é hora de abandonar o barco, é hora da gente pular nesse barco e subir o rio, mesmo que a gente esteja contra a correnteza. Há uma defasagem, um prejuízo emocional, um prejuízo escolar que vamos ter que recuperar agora. Estou muito feliz, nem dormi direito só pensando que hoje começava, a gente sente falta de estar aqui com eles todos os dias”, contou.

Acolhimento e avaliação diagnóstica

O secretário de Educação estadual, Aberson Carvalho afirmou que, segundo protocolo, caso algum aluno apresente qualquer sintoma gripal, a orientação é que fique em casa e passe por teste antes de voltar para a sala de aula. Ele falou ainda dos desafios desses dois anos de ensino remoto e dos passos que serão dados na retomada presencial.

“É um marco. No primeiro momento, a gente precisa fazer o acolhimento, cuidar desse aluno para que ele entenda que a escola faz parte da vida dele e ele faz parte da vida da escola. No segundo momento, precisamos fazer uma avaliação, onde possamos ter o diagnóstico de que conteúdos, competências e habilidades eles já desenvolveram. E, assim, podermos fazer uma reposição de conteúdo, um programa pedagógico, onde possa recuperar disciplinas, conteúdos mínimos de cada matéria, para estabelecer o ano atual. Esse foi nosso compromisso junto com o Conselho Estadual de Educação”, explicou o secretário.

Em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde, as escolas vão ter equipes de vacinação durante essa retomada das aulas. “Iniciamos com essa escola [Serafim Salgado] e vai ser apresentado um novo calendário onde os pais vão poder levar as crianças e ter a possibilidade de vacinar. É importante que todos estejam vacinados.”

Ano letivo 2022

O calendário letivo de 2021 encerrou as aulas no dia 3 de fevereiro. Já as aulas das escolas de ensino médio ou de ensino integral, que têm a carga horária de 5h ou 7h diárias, respectivamente, foram concluídas em 23 de dezembro do ano passado.

No dia 15 de janeiro, o governo divulgou, no Diário Oficial do Estado (DOE), uma instrução normativa que estabelece o calendário escolar do ano letivo de 2022, com prazos para matrículas, rematrículas e transferências dos alunos do ensino fundamental, médio e também da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O início das aulas, que estava previsto inicialmente para o dia 4 de abril, precisou ser adiado por conta da greve dos trabalhadores da Educação, que durou quase dois meses.

Mesmo em meio a críticas, os servidores decidiram suspender a greve no último dia 5 de abril, após aprovação de reajuste de 5,42% para servidores públicos ativos e inativos do estado e também o reajuste do salário equiparado ao piso nacional no valor de 33,24%, além do auxílio alimentação mensal para os servidores ativos da SEE de R$ 420.

%d blogueiros gostam disto: