Doze pessoas foram mortas de forma violenta no Acre no mês de julho

Doze pessoas foram mortas de forma violenta no Acre no mês de julho — Foto: Reprodução

Doze pessoas foram mortas de forma violenta no Acre no mês de julho — Foto: Reprodução

Dados oficiais repassados ao G1 pela Segurança Pública do Acre mostram que 12 pessoas morreram de forma violenta no estado. O levantamento computou o número de homicídios dolosos e feminicídios registrados durante o mês nas cidades acreanas.

Em julho, não houve mortes por latrocínio, roubo seguido de morte, nem por ação policial e nem lesão corporal seguida de morte. Os registros são de três feminicídios e nove homicídios dolosos.

Entre os feminicídios está o caso de Adriana Paulichen, conhecida como Anna, de 23 anos, que foi morta a golpes de faca e por estrangulamento, no dia 9 de julho, no bairro Estação Experimental, em Rio Branco.

O marido dela, Hitalo Marinho Gouveia, de 33 anos, foi preso e o confessou ter matado a esposa. Continua preso e o juiz Alesson Braz, da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco e Auditoria Militar, aceitou a denúncia do Ministério Público do Acre (MP-AC) por crime torpe contra mulher por razões do sexo feminino (feminicídio), com recurso que dificultou a defesa da vítima.

No dia 18 de julho, Eduarda da Cruz Silva, de 27 anos, estava cozinhando quando foi esfaqueada pelo marido na frente de uma mulher e da filha de dois anos. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. O caso ocorreu no bairro Cruzeirinho Novo e o suspeito fugiu após cometer o crime.

A Polícia Civil já ouviu formalmente duas testemunhas sobre o crime e não descarta a possibilidade de ele ter sido morto após fugir do local do crime.

No mês passado, o estado acreano confirmou 21 mortes violentas durante todo o mês. Do total desse casos, 19 foram de vítimas de homicídio doloso. Não houve registro de feminicídio ou latrocínio. Uma pessoa morreu durante ação policial no estado e uma foi vítima de lesão corporal seguida de morte.

Dados de 2021

 

Até o mês de julho, o Acre já registrou 132 duas mortes violentas. O ano começou com 17 mortes em janeiro, seguiu com o mesmo número em fevereiro e subiu para 28 em março.

No mês seguinte, em abril, foram atendidos 18 casos de homicídios dolosos no estado acreano. O levantamento mostrou que em maio e junho houve alta nos registros de mortes violentas, sendo 19 e 21, respectivamente.

Em julho foi registrada uma queda de mais de 42% nos casos de mortes violentas e o número fechou em 12.

%d blogueiros gostam disto: