Obras do anel viário em Brasileia e Epitaciolândia ganham destaque nacional

Em retrospectiva sobre ações em 2021, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) destaca que iniciou as obras do Anel Viário de Brasiléia e Epitaciolândia, na BR-317/AC, no Estado do Acre. O empreendimento vai beneficiar vários municípios da região do Vale do Alto Acre e os serviços são realizados por meio de uma parceria entre o governo federal e o governo do Estado. O investimento, de mais de R$ 60 milhões, é 100% disponibilizado pelo DNIT. Desse valor, cerca de R$ 57 milhões são destinados para projetos e obras. O restante vai para supervisão dos trabalhos.

O anel viário de Epitaciolândia e Brasiléia é considerado uma obra estratégica para o tráfego na Rodovia Interoceânica, no acesso ao Peru. O empreendimento visa à integração econômica e social dos países da América do Sul e vai facilitar o comércio do Acre e de todo o país com a Ásia, por meio dos portos peruanos.

A obra prevê 10 quilômetros de estrada contornando os dois municípios, além de uma ponte, de pista simples, com acostamento e passeio, de 250 metros sobre o rio Acre. O projeto retira, do tráfego nas cidades, os veículos de carga que fazem exportação pela BR-317/AC, preservando as vias urbanas e melhorando a qualidade de vida na região. Além de facilitar o tráfego, a ponte deve beneficiar mais de 50 mil habitantes e movimentar a economia na região, com a geração de emprego e renda.

Outro destaque no Acre, em 2021, foi a conclusão da restauração total, com aplicação de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), de 52 quilômetros de pista na BR-317/AC, localizados nos 12 segmentos mais críticos da rodovia. A BR-317/AC se inicia na divisa do Estado do Acre com o Amazonas e vai até a divisa do Brasil com o Peru, nas cidades de Assis Brasil (Brasil) e Iñapari (Peru), com 407,90 km de extensão. Com relação ao turismo, a BR-317/AC cumpre função importante para visitantes que pretendem conhecer a Amazônia e os Andes, além das cidades de Cuzco e de Machu Picchu, no Peru.

Mais uma ação importante realizada em 2021 foi a efetivação dos serviços de recomposição de aterros e dispositivos de drenagem da BR-364/AC. O DNIT garantiu a manutenção do tráfego na rodovia até Cruzeiro do Sul, com recomposição célere de pontos de rompimento.

E no último ano, o DNIT também iniciou no Acre os trabalhos nos primeiros contratos do novo Programa Nacional de Sinalização e Segurança Rodoviária (BR-LEGAL 2). As rodovias federais contempladas foram a BR-307/AC, a BR-317/AC e a BR-364/AC, em um total de 1.177,6 quilômetros de extensão. O BR-LEGAL 2 busca garantir a continuidade dos serviços, a qualidade da sinalização e o nível de satisfação dos usuários, com o objetivo principal de aumentar a segurança das rodovias federais brasileiras.

%d blogueiros gostam disto: