Assassino que aterrorizou seringais em Xapuri é preso pela Polícia Civil

Corpo de vítima foi localizado dentro do mato e foi constatado que havia sinais de abuso sexual

Uma equipe encabeçada pelo delegado titular do município de Xapuri, Gustavo Neves, coordenada pelo inspetor de polícia Eurico Feitosa, se deslocaram para a região onde moradores viveram momentos de terror nesta terça-feira, dia 22.

O principal acusado, J.L.S., de 21 anos de idade que foi preso no dia 14 de janeiro passado usando roupas e se passando por policial, além de portar armas para abordar moradores da cidade de Xapuri, sendo conduzido ao judiciário e sendo liberado depois.

Tudo parecia tranquilo até esta terça-feira, quando as autoridades da cidade foram avisadas dos momentos de terror e do assassinato de uma mulher, identificada como Maria Aparecida Souza de Oliveira, de 25 anos, foi assassinada com um tiro de espingarda na cabeça na frente de uma filha de apenas 7 anos idade.

Seu corpo apenas com a calcinha em uma das pernas, foi localizado dentro do mato e foi constatado que havia sinais de abuso sexual, levando a crer que a vítima foi estuprada após ser morta.

O corpo foi resgatado e levado de barco até a cidade e depois ao IML na Capital.

Segundo algumas testemunhas, o acusado passou a fazer ameaças na localidade dizendo que mataria qualquer um que se aproximasse. Armado pela mata, os moradores ficaram com medo que fossem vítimas de tocaia e serem mortos. Além de invadir outras propriedades para roubar e atear fogo.

Momento do resgate do corpo da vítima de 25 anos.

Foi quando a equipe de policiais realizou buscas no local, conseguiram localizar o assassino, sendo cercado e rendido sem que pudesse reagir.

O assassino foi localizado no Seringal Novo Catete, por volta das 17 horas, quando trafegava por um ramal em uma moto. Se acredita que o mesmo estava se preparando para fazer novas vítimas, quando foi abordado pelos policiais.

Preso em flagrante, o mesmo foi conduzido para a delegacia de Xapuri, onde seria ouvido pelo delegado Gustavo Neves e depois ser encaminhado ao judiciário para os procedimentos de praxe.

Dia em que acusado foi preso, 14 de janeiro, após se passar por policial na cidade de Xapuri.

WhatsApp Image 2022-02-23 at 23.15.40
WhatsApp Image 2022-02-23 at 23.15.40 (1)
WhatsApp Image 2022-02-23 at 23.17.32

%d blogueiros gostam disto: