Falsa farmacêutica com “carinha de anjo” é presa na Fundação Hospitalar do Acre

Poliana foi nomeada como farmacêutica do setor de Nefrologia da Fundação no dia 31 de janeiro de 2019, com salário de pouco mais de R$ 3 mil.

Apesar de ter cursado Farmácia em uma universidade particular de Rio Branco, Poliana não concluiu a graduação e nem tinha registro junto ao CRF, que é obrigatório para atuação do profissional farmacêutico.
Por Sandra Assunção

Poliana Moreira de Araújo foi presa em flagrante pela Polícia Civil do Acre na manhã desta quinta-feira, 23, acusada de cometer exercício ilegal da profissão.

Ela estava na Fundação Hospitalar, em Rio Branco, no momento da prisão. Poliana é acusada de atuar como farmacêutica no setor de Nefrologia da referida unidade de saúde.

A prisão foi coordenada pelo delegado Pedro Resende e teve acompanhamento da fiscalização do Conselho Regional de Farmácia do Acre (CRF). Apesar de ter cursado Farmácia em uma universidade particular de Rio Branco, Poliana não concluiu a graduação e nem tinha registro junto ao CRF, que é obrigatório para atuação do profissional farmacêutico.

Nas redes sociais de Poliana, há fotos da festa de uma formatura, fato que faz parte da investigação policial. Ela foi nomeada como farmacêutica do setor de Nefrologia da Fundação no dia 31 de janeiro de 2019, com salário de pouco mais de R$ 3 mil.

“Em qualquer área da saúde na verdade, se exige um profissional responsável técnico realmente qualificado. Esperamos que a polícia descubra por que ela foi contratada sem atender as exigências mínimas”.

Ela era responsável pela logística de medicamentos do da Nefrologia, incluindo a hemodiálise para pacientes com problemas renais, pedido e controle e dispensação dos medicamentos. O presidente do CRF no Acre, João Vitor Italiano Braz, conta que o Conselho constatou junto à faculdade que Poliana não concluiu o curso, nem tinha registro profissional expedido pela autarquia, obrigatório para o exercício da profissão nas áreas pública e privada.

Braz destaca que a atuação da profissional não habilitada põe em risco a vida das pessoas. “A Nefrologia é uma área muito delicada e requer bastante qualificação. Os medicamentos usados lá são muitos caros. Em qualquer área da saúde na verdade, se exige um profissional responsável técnico realmente qualificado. Esperamos que a polícia descubra por que ela foi contratada sem atender as exigências mínimas”.

O conselheiro federal Romeu Cordeiro diz que a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) deve explicar “por que fez a nomeação sem exigir o registro no CRF”.

%d blogueiros gostam disto: