Gladson Cameli visita as obras do anel viário de Brasileia e Epitaciolândia

Apesar do período de inverno amazônico, os trabalhos para a construção do anel viário na BR-317 não pararam. A obra, orçada em R$ 62 milhões, irá beneficiar toda a região do Alto Acre, facilitando o fluxo de veículos entre o Acre, a Bolívia e o Peru.

O governador Gladson Cameli visitou, nesta quinta 27, o canteiro de obras do consórcio formado por três construtoras e pôde comprovar o avanço dos serviços. Ele destacou que o anel viário será fundamental para aquecer a economia acreana.

A obra, orçada em R$ 62 milhões, irá beneficiar toda a região do Alto Acre. Foto: Pedro Devani/Secom

“Teremos um corredor rodoviário na fronteira do Acre que facilitará a exportação de carne para os países andinos, depois do acordo comercial bilateral a ser assinado nos próximos dias pelos presidentes do Brasil e do Peru. O anel viário será essencial para que todo esse tráfego não passe pelas áreas urbanas de Brasileia e Epitaciolândia,” afirmou Gladson.

A obra é uma ação do governo do Estado em parceria com o governo federal, que ajudará na integração do Acre com o resto do mundo. “Quando há esforço e determinação, nada é impossível. Essa obra é uma prova do que quero mostrar à sociedade e desfazer o mito daqueles que querem desconstruir um trabalho que não é só meu, mas de toda uma equipe que se dedica para realizar o sonho de vários acreanos e brasileiros que aqui residem”, ressaltou o governador.

Gladson Cameli destacou que o anel viário será fundamental para aquecer a economia acreana. Foto: Pedro Devani/Secom

Os pilares do anel já estão construídos e, no próximo mês, o foco será o início das lajes. O gestor concluiu agradecendo o empenho e dedicação dos envolvidos na obra.

“Estou muito grato a todas as secretarias, trabalhadores, à bancada federal, aos nossos deputados estaduais e prefeitos, porque uma obra dessa magnitude envolve uma logística complexa e o apoio de várias pessoas”, concluiu.

Criando oportunidades e empregos

Já são mais de 300 empregos diretos, além dos indiretos, que aumentam o movimento da economia das cidades do Alto Acre. Foto: Pedro Devani/Secom

O presidente do Deracre, Petronio Antunes, também esteve no local e falou da importância da obra para o Alto Acre. “Esse é o último gargalo para a ligação com o Peru. A ponte vai dar mais segurança para o transporte dos veículos pesados, aumentando a nossa exportação e trazendo desenvolvimento para a região, não só depois, mas durante a obra. Já são mais de 300 empregos diretos, além dos indiretos, que aumentam o movimento da economia das cidades do Alto Acre”, afirmou o gestor.

Presente também na visita técnica, o titular da Seinfra, Cirleudo Alencar, avaliou a execução do anel até o momento: “A importância da obra é fortalecer a economia acreana, fomentando a exportação e importação, gerando riqueza local e trazendo coisas boas para o estado. E ficamos muito felizes de poder participar, juntamente com o governador, de um momento tão importante e histórico para a infraestrutura do Acre”.

%d blogueiros gostam disto: