Jenilson Leite se reúne com secretário de Produção e Agronegócio para tratar da cadeia produtiva do açaí no Acre

O deputado estadual Jenilson Leite, esteve nesta quinta-feira (9), na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (Sepa) para tratar sobre a aplicação da emenda de R$ 6 milhões destinados para as culturas do café e do açaí no Acre, aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa junto ao Orçamento do Governo que está em execução este ano.

Deste montante, R$ 2 milhões serão para o desenvolvimento da cadeia produtiva do açaí na região de Tarauacá e Feijó, e por isso o secretário Edvan Maciel convidou Jenilson, que é natural de Tarauacá, e o deputado Cadmiel Bomfin, de Feijó, para entender como o recurso pode ser aplicado da melhor forma nessa região.

“Apesar de ser conhecida como a terra do açaí, Feijó hoje não tem o açaí de cultivo, só o extrativista, que já não dá conta de abastecer nosso estado. Há anos sou defensor de se implementar a cultura do açaí aqui no Acre, incentivando a produção, capacitando nossos produtores. Recentemente estive no Pará e é uma coisa admirável o que eles fazem lá, onde o açaí gera mais de R$ 1,5 bilhão na economia e eu sei que é possível fazermos isso aqui, se tivermos o Estado trabalhando para isso”, diz Jenilson.

Na reunião, ficou acertado que a Sepa vai montar um projeto piloto com produtores de Tarauacá e Feijó para desenvolver a cadeia produtiva do açaí, com suporte técnico e operacional para o desenvolvimento do cultivo. A expectativa é que seja colocado em prática no início do próximo ano.

Pré-candidato ao Governo, Jenilson Leite acredita no setor produtivo acreano como alavanca importante na economia do Estado e não é de hoje que vê no açaí um potencial para a região Tarauacá/Envira. Ele é autor do projeto de lei que implementa o Programa Estadual de Qualidade do Açaí e cria o selo de qualidade de bebidas e alimentos de origem vegetal, o “selo de qualidade do açaí”.

“Nós não apostamos na fruticultura no Acre e eu acho que essa é uma das apostas que vale a pena , mas que exige mudanças de prática produtivas, levando conhecimentos técnicos. Eu tenho uma confiança muito grande no Café e no açaí aqui no nosso estado”, diz Jenilson lembrando ainda do anteprojeto que apresentou na Aleac o anteprojeto de criação do Programa Estadual de Ampliação da Cultura do Café e do Açaí, que foi reprovado, mas baseou a emenda de R$ 6 milhões.

“Precisamos estudar quais políticas públicas podemos aplicar para que a agricultura deslanche e impulsionemos uma cadeia produtiva. Temos que avançar muito ainda nessa área, mas nossa população está crescendo e cada dia aumenta mais a nossa dependência dos repasses federais e cada dia a gente gasta mais com aquilo que não nos leva para frente, cada dia a gente aumenta a população, prende mais gente, gastando mais dinheiro com o sistema carcerário e precisamos discutir isso, descobrir para onde podemos caminhar”, ponderou o pré-candidato.

%d blogueiros gostam disto: