Motorista que atropelou e matou ciclista no AC diz à polícia que bebeu cerveja antes do acidente

Motorista abandonou o carro e fugiu do local do crime, segundo a polícia — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoalMotorista abandonou o carro e fugiu do local do crime, segundo a polícia — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal

Motorista abandonou o carro e fugiu do local do crime, segundo a polícia — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal

O motorista que atropelou e matou o ciclista Antônio Oliveira Nascimento, de 48 anos, na noite de sábado (20), confessou que tinha consumido bebida alcoólica antes do acidente. Ele se apresentou à polícia nesta segunda-feira (22) com um advogado.

Nascimento foi atropelado no km 2 da BR-317, na saída da cidade de Brasileia, interior do Acre. Ele morreu no local da batida, e o motorista abandonou o carro e fugiu do local com duas pessoas que estavam no veículo.

O advogado do motorista, que pediu para não ter o nome divulgado, falou que o cliente vai explicar os fatos em outro momento. Segundo a defesa, o suspeito disse que iria falar sobre o caso posteriormente.

Depoimento

Porém, o delegado responsável pelas investigações, Rêmullo Diniz, confirmou ao G1, nesta terça (23), que o motorista foi ouvido e liberado por ter passado o prazo do flagrante. No depoimento, o suspeito alegou que não viu o ciclista e após a batida fugiu para casa de parentes.

“Compareceu com o advogado, prestou depoimento, ficou nervoso e falou que realmente tinha tomado cinco cervejas em um canto, cinco em outro. Disse que não viu por conta que não tem acostamento, a pessoa estava na pista e bateu na bicicleta”, explicou Diniz.

O delegado acrescentou que o motorista não confessou que estava em alta velocidade, mas os laudos periciais devem apontam a que velocidade o carro estava no momento da batida.

Ciclista morreu no local do acidente, em Brasileia — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal

Ciclista morreu no local do acidente, em Brasileia — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal

“Mas, pelo impacto, não tem nem como negar. Pelo impacto e a distância que o corpo ficou, espalhado e pedaços de bicicleta, demonstra que vinha em alta velocidade. Lógico que o perito vai fazer o cálculo disso e vai mandar no laudo”, reforçou.

Diniz contou também que o rapaz tem residência fixa, trabalha e não tem antecedentes criminais. Agora, a polícia segue com as investigações para ouvir pessoas que estiveram no mesmo local que o suspeito.

“Foram intimadas as pessoas que estavam no local onde ele estava ingerindo bebida alcoólica para saber a quantidade de bebida, o tempo que permaneceu lá, até para ficar como elemento no procedimento. Uma vez que se faz o uso de bebida alcoólica se agrava a situação”, afirmou.

Ferimentos

O motorista confessou ainda para a polícia que ficou desnorteado e resolveu sair do local. As duas mulheres que estavam com ele ficaram com ferimentos leves.

“Permanece em liberdade, não tinha sido feita a representação criminal em favor dele e, por isso, tem o benefício já que se apresentou espontaneamente. Lógico que pode evoluir quando chegar à disposição do Ministério Público, ou dependendo do aprofundamento das investigações, pode ser representado pela prisão”, concluiu o delegado.

%d blogueiros gostam disto: