Grêmio se vê prejudicado, fala em desrespeito de Gallardo e vai pedir perda dos pontos do River

O Grêmio prepara um recurso na Conmebol para pedir a perda dos pontos do River Plate na vitória por 2 a 1 dos argentinos na noite desta terça, que decretou a eliminação do time gaúcho nas semifinais da Libertadores. A alegação é de que o técnico Marcelo Gallardo, que estava suspenso, interferiu “diretamente” no resultado da partida.

O técnico do River foi punido na véspera do jogo pela Conmebol por ter retardado o retorno do time argentino no intervalo da partida de ida, no Monumental de Núñez. Assistiu ao duelo em uma cabine na Arena, mas foi foi flagrado pelas câmeras de TV se comunicando por um rádio com seu auxiliar, Matias Biscay. No intervalo, ainda foi flagrado descendo aos vestiários para falar com os jogadores do time argentino.

Em contato com o GloboEsporte.com, o diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, afirmou que o clube vai entrar com um recurso ainda nesta quarta-feira. O entendimento é de que a ação de Gallardo é equivalente à participação no jogo de um atleta que estivesse suspenso.

– Estamos preparando o recurso. O entendimento não é do Grêmio (de que há irregularidade). É da Conmebol. A Conmebol puniu ele. E ele influenciou diretamente no resultado da partida – afirma o dirigente.

Em entrevista coletiva após o jogo, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, afirmou que Gallardo e o River “debocharam” da competição. O mandatário antecipou que o clube vai acionar a Conmebol, mas disse que não acredita em muitos desdobramentos além de uma multa.

– Não vejo perspectiva além da multa. Vamos ver quem tem vergonha na cara. O Grêmio foi desrespeitado. O adversário vem aqui e não respeita as regras. Acho que debocharam do campeonato. Foi uma agressão de todas as ordens. Não precisavam ser espertos para ganhar. Vamos esperar para ver o tipo de providência que a Conmebol tomará. Se forem omissos, se aceitarem, passa a ser uma situação muito duvidosa – destacou o presidente.

Precedente preocupa argentinos

O regulamento da Libertadores prevê a reversão do resultado de uma partida em caso de utilização indevida de um jogador, mas não é muito claro no caso de treinadores (leia abaixo). No entanto, o jornal Clarín, de Buenos Aires, lembra um precedente que causa preocupação ao River. Há cerca de um ano, no Uruguai, o Sud America foi declarado perdedor de uma partida contra o Danubio após seu treinador descumprir uma suspensão, em caso semelhante ao de Gallardo. A decisão, porém, foi da federação uruguaia e não da Conmebol.

Imagem mostra Gallardo com comunicador no camarote da Arena — Foto: Reprodução Imagem mostra Gallardo com comunicador no camarote da Arena — Foto: Reprodução
Imagem mostra Gallardo com comunicador no camarote da Arena — Foto: Reprodução

Além da reclamação sobre a atitude do técnico do River, o presidente gremista também fez coro ao técnico Renato Gaúcho ao criticar veementemente a atuação do árbitro assistente de vídeo, o uruguaio Leodan González, que não alertou o juiz sobre o toque de mão de Borré no primeiro gol do River. Por sua vez, o treinador questionou uma suposta conversa após o fim do jogo.

– Me deixa com muita raiva. Preferia ter perdido por 5 a 0. Depois falaram que o delegado do jogo e o árbitro do VAR estavam reunidos após a partida. Mas por quê? Analisando que estavam errados? Mas o Grêmio está eliminado. Quem vai pagar esta conta? Aí fazem tudo isso para roubar do Grêmio na Arena. O VAR só está aí para isso – disparou Renato.

Fora da Libertadores, a menos que consiga uma reversão nos tribunais, o Grêmio se volta ao Brasileirão. O time de Renato ainda briga por uma vaga no G-4, que dá vaga direta para a competição do ano que vem. Na quinta colocação com 52 pontos, enfrenta o Atlético-MG no sábado, às 17h, no Independência, pela 32ª rodada.

00:00/03:28

%d blogueiros gostam disto: