Sobreviventes de acidente na BR-317 se recuperam na enfermaria do PS; uma vitima perdeu o baço

Aline Nascimento

As duas sobreviventes do acidente entre uma van e um caminhão, nessa quarta-feira (27), no Km 181 da BR-317, em Xapuri, no interior do Acre, levadas para o Pronto Socorro de Rio Branco seguem internadas em uma enfermaria da unidade e o quadro de saúde é estável. As informações foram repassadas pelo médico-cirurgião Pablo Monteiro, nesta quinta-feira (28), à Rede Amazônica Acre.

Mayane do Nascimento Mendonça, de 19 anos, e Lenilda Silva, de 20, passaram por uma laparotomia de abdômen para conter um sangramento e lesões no baço. As equipes médicas precisaram retirar o baço das duas pacientes devido às gravidades da batida. O médico falou que, por enquanto, não há previsão de outras cirurgias e as pacientes se recuperam bem.

Vítima de acidente na BR-317 na chegada do Pronto Socorro — Foto: Reprodução

Vítima de acidente na BR-317 na chegada do Pronto Socorro — Foto: Reprodução

“Não é o que a gente espera, a cirurgia ocorreu bem e está bem estável, então, não estamos pensando em reoperação. As duas estão na mesma enfermaria, em área ambiente, respirando bem, se alimentado, ainda muito traumatizadas, claro, psicologicamente, mas recebendo também esse apoio psicológico para que melhorem não apenas da parte física, mas também parte emocional”, confirmou.

Monteiro destacou que ainda não é possível confirmar quando as pacientes terão alta. “A previsão é o mais rápido possível, mas não posso afirmar o dia exato porque ficamos observando os parâmetros clínicos do paciente para ver se evolui com melhora clínica e até que receba alta com 100% de estado de saúde”, frisou.

Além das duas jovens, o motorista da van, Jean Lopes Oliveira Júnior, de 31 anos, e uma quarta paciente que não teve o nome divulgado também receberam atendimento no PS. Os dois tiveram alta ainda quarta-feira (27).

Ao todo, 16 pessoas estavam na van. Os passageiros seguiam do interior para a capital acreana para fazer exames ou acompanhamento médico no Hospital de Amor. Cinco mulheres morreram no acidente, quatro pessoas foram levadas ao Pronto Socorro de Rio Branco e os demais feridos foram levados ao hospital de Xapuri. Veja abaixo a identificação das vítimas fatais.

Duas pacientes do acidente seguem internadas no PS de Rio Branco — Foto: Odair Leal/Secom

Duas pacientes do acidente seguem internadas no PS de Rio Branco — Foto: Odair Leal/Secom

Depoimento motorista

Polícia Civil já ouviu, pelo menos, cinco pessoas na investigação do acidente. O delegado responsável pelo caso, Gustavo Neves, disse que o motorista do caminhão relatou que seguia na via quando sentiu o impacto da batida. Ele afirmou que a van que invadiu a pista na contramão e bateu contra o caminhão.

O motorista da van, Jean Oliveira Júnior, foi interrogado nesta quinta na delegacia de Xapuri. No depoimento, o condutor rebateu a versão do motorista do caminhão e afirmou que, na verdade, que caminhão que saiu da contramão e atingiu a van.

“Alegou que estava andando na rota dele e que não invadiu a pista contrária. É comum nesse tipo de crime e, por isso, tem a perícia. Lembra que foi muito rápido, que estava com a velocidade compatível com a via, falou que estava tudo tranquilo. É natural que isso aconteça, as partes falarem que o outro foi o responsável”, disse o delegado.

O condutor falou ainda para a polícia que fez contato com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para socorrer as vítimas e também receber atendimento médico. Segundo o delegado, Júnior estava bastante abalado durante o depoimento.

Acidente grave deixa pelo menos cinco mortos e feridos após colisão entre van e caminhão

“Demonstrou estar bastante abalado com o acontecido. Está muito sentido, magoado. Tem muita gente hospitalizada, então, estou ouvindo à medida que dá para ouvir. Como foi muito recente, as pessoas estão abaladas, hoje teve velórios, enterros”, lamentou.

Também nesta quinta, o diretor-presidente da Companhia de Armazéns Gerais e Entrepostos do Acre (Cageacre), Jessé Silva da Cruz, informou que Jean Lopes de Oliveira Junior é diretor operacional da Companhia e que ele foi afastado de suas funções após acidente.

Isso porque, o cargo que ele ocupava era de dedicação exclusiva e, por isso, não poderia estar atuando como motorista da van, que não tinha ligação com o órgão público.

“Em virtude do envolvimento do diretor operacional da Companhia de Armazéns Gerais e Entrepostos do Acre (Cageacre), Jean Lopes de Oliveira Junior, como motorista do veículo de transporte de passageiros que se envolveu no acidente que culminou com cinco vítimas fatais no Km 181 da BR-317, ontem, em Xapuri, o Estado do Acre, por meio da Cageacre, informa que o servidor foi afastado de suas funções, uma vez que a legislação vigente preconiza dedicação exclusiva ao cargo público em que estava investido”, diz a nota.

Porta da van ficou presa no caminhão após acidente — Foto: Arquivo/CBM-AC

Porta da van ficou presa no caminhão após acidente — Foto: Arquivo/CBM-AC

As vítimas identificadas são:

Joana Souza da Silva trabalhava como agricultora na zona rural de Xapuri — Foto: Arquivo pessoal

Joana Souza da Silva trabalhava como agricultora na zona rural de Xapuri — Foto: Arquivo pessoal

Joana Souza da Silva, 42 anos

Morava na zona rural de Xapuri e trabalhava como agricultora. Ela viajava com a irmã, Nayara Souza da Silva, que se recupera dos ferimentos no Hospital Epaminondas Jácome, no interior. Joana ia fazer exames na mama no Hospital de Amor.

Joana era casada e não tinha filhos. Ela vendia frutas e carnes da propriedade dela na zona urbana para tirar o sustento. Segundo a família, Joana era uma mulher calma, de pouca conversa e gostava mais de ficar reservada.

Maria Francinete Barbosa de Souza, 50 anos

Casada com o irmão de Joana e mãe de um casal, Maria Francinete Barbosa de Souza, mais conhecida como Nete, iria fazer exames de rotina na capital acreana. Ela era vizinha e muito próxima das cunhadas.

Assim como Joana, ela também tirava o sustento da família da agricultura.

Leonor Leite de Souza, 42anos

Leonor era conhecida de Maria Francinete e Joana Souza. Elas também tinham amigos em comum. Leonor morava na zona urbana de Xapuri, onde tinha uma mercearia com o marido. Além de dona de casa, Leonor também ajudava o marido nas tarefas do comércio no dia a dia.

Valdeide Alves da Silva, 38 anos

A vítima também morava na zona rural da cidade, na mesma comunidade que Maria Francinete e Joana Souza. A família informou que era a primeira vez que ela viajava para a capital a tratamento de saúde.

Maria de Nazaré Cordeiro da Silva, de 68 anos

Assim com as outras três vítimas, Maria de Nazaré morava na mesma comunidade onde conviviam Maria Francinete, Joana Souza e Valdeide Alves. Abalados, os parentes não quiseram falar com a reportagem no IML.

Os familiares informaram que todas as vítimas serão levadas para Xapuri para o velório e enterro. Todos os corpos foram liberados do IML ainda nessa quarta (27).

Acidente

Conforme o comando dos bombeiros na cidade, a van seguia de Xapuri para Rio Branco e bateu em um caminhão que seguia na direção contrária. O motorista do caminhão sofreu apenas escoriações.

Equipes do Corpo de Bombeiros, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF -AC) socorreram as vítimas no local do acidente.

A van tinha saído de Xapuri com destino à capital acreana. Segundo informações da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), os ocupantes do veículo são pacientes que iam fazer consultas e acompanhamentos no Hospital de Amor.

Colaborou Murilo Lima, da Rede Amazônica Acre.

%d blogueiros gostam disto: