Adolescente vítima de tráfico humano é resgatada no AC quando era levada para Bolívia

Uma adolescente de 16 anos foi resgatada pela Polícia Federal do Acre (PF-AC) quando era levada por um casal para Cobija, na Bolívia, que faz fronteira com o estado acreano. As investigações apontam que o casal é suspeito de tráfico de pessoas e trabalho escravo.

A mulher, uma acreana de 43 anos, e o marido dela, boliviano de 40, foram presos em flagrante na Delegacia da PF de Epitaciolândia, interior do Acre, na terça-feira (18), quando pararam para o controle migratório. O caso, porém, só foi divulgado nesta quinta-feira (20).

A vítima foi encontrada dentro do carro dos suspeitos. Ela é de família humilde e mora na zona rural. Por segurança, a PF-AC não repassou a localidade que a menor mora.

Casal parou na Delegacia da PF em Epitaciolândia para o controle migratório e acabou preso  — Foto: Alexandre Lima/Arquivo pessoal

Outras vítimas

Ainda conforme a PF, o casal já teria conseguido levar outras quatro adolescentes para o país boliviano para serem exploradas. Essa seria a quinta vítima.

“É uma acreana, menor de idade. Ela não estava amarrada porque a suspeita aliciava as vítimas, que iam por vontade própria, mas enganadas. Essas menores moram em seringais, são de famílias pobres evulneráveis”, confirmou a delegada de Polícia Federal Paula Cecília Santana Alves.

Para atrair as vítimas, o casal prometia trabalho e melhorias financeiras na Bolívia. A polícia investiga o casal há dois anos, quando teriam iniciado os crimes.

“As que têm família estruturada, confiavam. As que não têm, acreditavam na palavra dela [suspeita] e iam. Ela aliciava as menores. Ele entrou na delegacia para fazer o controle migratório, e ela ficou no carro porque não ia fazer o controle migratório da menor. Ela [suspeita] era o principal alvo”, pontuou.

A menina está em um abrigo sob os cuidados do Conselho Tutelar da cidade. Por morar em uma região distante e de difícil acesso, a polícia ainda tenta contato com a família na vítima.

“A mãe dela é falecida, ela mora com o pai, mas é vulnerável. Buscamos ainda familiares para poder devolver a menor”, ressaltou.

Vítimas fugiram de cativeiro

A delegada revelou que a polícia soube do paradeiro da suspeita novamente a partir do mês de janeiro, quando uma das vítimas conseguiu fugir da casa dela, que fica na Bolívia, e onde as meninas eram mantidas.

“A gente soube que ela tinha voltado para região de onde é no Acre para poder aliciar outra menor. Estava levando essa menor para Cobija e conseguimos prendê-la em flagrante antes que entrasse na Bolívia com a menor”, frisou.

Em dois anos de investigação, a polícia identificou quatro vítimas do casal. As meninas seriam todas menores e da mesma região do Acre. Três das quatro meninas conseguiram fugir do casal. A quarta vítima foi resgatada pela família.

“Não sabemos se antes da investigação ela já praticava esse tipo de crime. Já ouvimos duas das quatro menores, a terceira vai ser ouvida logo e descobrimos o paradeiro da quarta recentemente e vamos ouvi-la. As famílias não procuram a polícia, porque acreditam que não aconteceu nada”, relatou.

Paula Cecília acrescentou que o casal foi preso em flagrante por tráfico de pessoas. Porém, a mulher é investigada também pelo crime de trabalho escravo. A polícia suspeita ainda que a mulher esteja envolvida em exploração sexual

%d blogueiros gostam disto: