Acreano Vanderson sai do BBB19 e não será substituído

A delegada Rita Salim, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá (DEAM), no Rio de Janeiro, esteve na manhã desta quarta-feira, dia 23/1, nos Estúdios da Globo, e intimou o biólogo e coordenador educacional indígena, Vanderson, de 35 anos, a prestar depoimento em inquérito instaurado após denúncias feitas contra o participante.

A saída de um candidato da casa resulta na sua desclassificação do BBB19.

Vanderson não será substituído e o programa seguirá com 15 participantes.

O apresentador Tiago Leifert anunciará a decisão na edição desta noite, 23/1. Ele já comunicou o ocorrido aos jogadores no início desta tarde.

Quer ficar por dentro de tudo sobre o BBB19? Siga os perfis oficiais no Facebook, Twitter e Instagram. O Gshow tem conteúdo exclusivo o tempo todo. É a #RedeBBB ainda mais conectada com você!

ENTENDA O CASO
Maíra Menezes, de 27, acusou o biólogo e coordenador educacional indígena Vanderson, de 35 anos, anunciado como participante do BBB19, de agressão. A estudante namorou o acreano durante um ano, dos 18 aos 19 anos. Procurada por QUEM, a TV Globo, através de sua assessoria de comunicação, divulgou a seguinte nota sobre o caso: “A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, mas cabe às autoridades competentes a apuração de denúncias como a que está sendo feita. Se assim for, a Globo tomará medidas, como já fez em outras edições do programa”.

Em entrevista à QUEM, Maíra relembrou o namoro. “Era um típico relacionamento abusivo, mas na época não sabia nem o que era feminismo. Saía para assistir a um filme sozinha e ele falava: ‘não faça isso que é perigoso’. Achava que ele estava querendo me proteger. Tem outras situações de violência psicológica que ainda me machucam muito e prefiro não falar. Você sempre acha que está errada e inventando coisas da sua cabeça. Achei que estivesse louca! Foram anos repassando tudo aquilo na minha cabeça. E não acreditaram em mim. Porque ele é muito simpático, carismático”, contou.

Pelo fato de Vanderson estar confinado, Maíra disse ter procurado um advogado a fim de se proteger. “Já falei com um advogado porque sei que pode acontecer um processo. Mas tem três meninas que namoraram o Vanderson e também foram agredidas, mas estão com medo de falar. O meu caso já prescreveu. Talvez o caso delas ainda dê para fazer uma denúncia. Elas têm fotos, prints. Estou no processo de conversar com elas para convencê-las. Eu vou enfrentar”, garantiu.

%d blogueiros gostam disto: